Guerra do Bacalhau

A Guerra do Bacalhau, também chamada de Guerra do Bacalhau Islandês (em islandês Þorskastríðin - Guerra do bacalhau - ou Landhelgisstríðin - Guerra por águas territoriais) foi uma série de confrontes entre as décadas de 1950 e 1970 entre Reino Unido e Islândia por causa dos direitos de pesca nas águas do Oceano Atlântico Norte.

Expansion of the Icelandic Exclusive Economic Zone (EEZ).
  Islândia
  Águas internas
  4 nmi expansão
  12 nmi expansão (extensão atual das águas territoriais)
  50 nmi expansão
  200 nmi expansão (atual extensão da ZEE)
Primeira Guerra do Bacalhau
CoventryAlbertWestfj.jpg
Navios islandeses
Data 1 de setembro de 1958 - 12 de novembro de 1958
Local Europa
Desfecho Um acordo entre Reino Unido e Islândia onde o Reino Unido aceitou a anexação islandesa enquanto a Islândia concorda em aceitar futuros julgamentos na Corte Internacional de Haia
Mudanças
territoriais
A Islândia expande suas águas territoriais em 12 milhas náuticas
Combatentes
 Islândia  Reino Unido
Forças
Guarda costeira islandesa

3 grandes navios de patrulha 6 barcos pequenos.

Marinha Real

28 destroyers 32 fragatas 1 lança minas 1 caça-minas 10 navios de suprimentos da RFA

Vítimas
Nenhuma Nenhuma
Segunda Guerra do Bacalhau
Data 1 de setembro de 1972 - 8 de novembro de 1973
Local Europa
Desfecho Um acordo entre Reino Unido e Islândia onde o Reino Unido aceitou a anexação islandesa em troca da permissão para pescar até 150 000 toneladas de peixes até 1975
Mudanças
territoriais
A Islândia expande suas águas territoriais para 50 milhas náuticas
Combatentes
 Islândia  Reino Unido

 Alemanha Ocidental

Forças
Guarda costeira islandesa

3 grandes navios de patrulha 2 barcos de patrulha pequenos 1 baleeiro armado.

Marinha Real

1 destroyer 30 fragatas, 11 navios de suprimentos da RFA 5 rebocadores

Vítimas
Nenhuma Nenhuma
Terceira Guerra do Bacalhau
Scylla-Odinn.jpg
Barco de patrulha islandês
Data 16 de novembro de 1975 - fim de junho de 1976
Local Europa
Desfecho Um acordo entre Reino Unido e Islândia onde o Reino Unido aceitou a anexação islandesa em troca da permissão temporária para seus barcos pescarem na região.
Mudanças
territoriais
A Islândia expande sua zona de pesca exclusiva para 200 milhas náuticas
Combatentes
 Islândia  Reino Unido
Forças
Guarda costeira islandesa

4 grandes navios de patrulha, 2 barcos de patrulha pequenos e 2 barcos armados.

Marinha Real

22 fragatas, 7 navios de suprimentos da RFA

Vítimas
Nenhuma Nenhuma

Em 1972, a Islândia unilateralmente declarou uma Zona Econômica Exclusiva (ZEE) estendendo-se além das suas águas territoriais, antes de anunciar a redução da sobrepesca. Essa expansão causou a ocorrência de diversos incidentes com as redes de pesca entre os barcos islandeses e britânicos. Como resposta, a Marinha Real britânica deslocou navios de guerra para evitar conflitos entre os barcos pesqueiros dos dois países.

A disputa acabou em 1976 depois da Islândia ameaçar fechar uma base da OTAN em retaliação ao movimento de navios militares nas águas em disputa. O governo britânico cedeu e concordou que após o primeiro de dezembro de 1976 os navios britânicos não pescariam mais na área em disputa.[1]

Leitura de apoioEditar

  • Ingo Heidbrink: “Deutschlands einzige Kolonie ist das Meer” Die deutsche Hochseefischerei und die Fischereikonflikte des 20. Jahrhunderts. Hamburg (Convent Vlg) 2004.
  • Kurlansky, Mark. Cod: A Biography of the Fish That Changed the World. New York: Walker & Company, 1997 (reprint edition: Penguin, 1998). ISBN 0-8027-1326-2, ISBN 0-14-027501-0.

Ligações externasEditar

Referências

  1. Útfærsla efnahagslögsögunnar Visitado em 6 de janeiro de 2012 Versão arquivada em 19 de maio de 2010 (em islandês)