Heládio de Alexandria

Heládio (em latim: Helladius) foi um grego do fim do século IV e início do século V, natural de Alexandria, no Egito. Se sabe que atuou como gramático ao lado de Amônio e era sacerdote de Zeus. Em 391, foram obrigados a fugir devido as revoltas antipagãs, durante as quais Heládio alegou ter matado nove cristãos. Foi à capital imperial de Constantinopla, onde fundou uma escola e tornar-se-ia mestre de Sócrates. De acordo com a Suda, foi autor de um léxico alfabético (λεξικον κατα στοιχειον), uma écfrase sobre a glória (εκφρασις φιλοτιμιας), outra sobre as Termas de Constantino, uma obra chamada Dioniso, a Musa (Διονυσος η Μουσα) e um panegírico dedicado ao imperador Teodósio II (r. 408–450).[1] Em 15 de março de 425, foi agraciado com codicilos da "comitiva da primeira ordem" (comitiva primi ordinis), que permitiram-lhe ser qualificado como ex-vigário.[2]

Heládio
Nascimento século IV
Alexandria
Morte século V
Constantinopla
Nacionalidade Império Bizantino

Referências

  1. Martindale 1971, p. 412.
  2. Martindale 1980, p. 534.

BibliografiaEditar

  • Martindale, J. R.; A. H. M. Jones (1971). «Helladius 4». The Prosopography of the Later Roman Empire, Vol. I AD 260-395. Cambrígia e Nova Iorque: Imprensa da Universidade de Cambrígia 
  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1980). «Helladius 2». The prosopography of the later Roman Empire - Volume 2. A. D. 395 - 527. Cambrígia e Nova Iorque: Imprensa da Universidade de Cambrígia