Abrir menu principal
Henry Hallam
Nome completo Henry Hallam
Nascimento 9 de julho de 1777
Morte 21 de janeiro de 1859 (81 anos)
Nacionalidade  Reino Unido
Ocupação Historiador

Henry Hallam (9 de julho de 1777 - 21 de janeiro de 1859) foi um historiador inglês, fellow da Royal Society e administrador do Museu Britânico, gozando de muitas outras distinções apropriadas. No ano de 1830 ele recebeu a medalha de ouro de história, fundada por George IV


VidaEditar

Filho único de John Hallam, côneg de Windsor, e deão de Bristol, Henry Hallam recebeu educação no Eton College e no Christ Church College, Oxford, draduando-se em 1799. Chamado ao tribunal, ele praticou por alguns anos no circuito de Oxford, mas suas preferências eram a literatura e, quando da morte de seu pai em 1812, ele herdou alguma terra em Lincolnshire, ele dedicou-se totalmente ao estudo acadêmico. Ele conectou-se com o brilhante grupo de autores e políticos que lidravam o partido Whig, uma conexão à qual ele deve sua indicaçaõ ao posto bem pago e fácil de comissário de estampas, mas não participou da política. Ele era, entretanto, um apoiador ativo de muitos movimentos populares -- particularmente aqueel que terminou na abolição do tráfico de escravos, e ele estava ligado sinceramente aos princípios políticos dos Whigs.

Os primeiros trabalhos literários de Hallam foram empreendidos em conexão com o grande órgão do partido Whig, o Edinburgh Review, onde sua crítica de Dryden, de Walter Scott atraiu atenção. Seu primeiro grande trabalho, The View of the State of Europe during the Middle Ages, foi produzido em 1818, e foi seguido nove anos depois pelo Constitutional History of England. Nos período de 1838-1839 apareceu o Introduction to the Literature of Europe in the 15th, 16th and 17th Centuries. Estes são os três trabalhos sobre os quais repousa a fama de Hallam. Ele conquistou um lugar na literatura inglesa que não foi desafiado até o século XX. Um volume de notas suplementares ao seu Middle Ages foi publicado em 1843, e estes fatos e datas representam praticamente toda a carreira de Hallam. O fato pessoal mais importante em sua vida foi a aflição que recaiu sobre ele com a perda de seus filhos, um após o outro. seu filho mais velho, Arthur Henry Hallam - o "A.H.H." do In Memoriam de Alfred Lord Tennyson, e pelo testemunho de seus contemporâneos um homem de brilhantes promessas -- morreu em 1833 com 22 anos. Dezessete anos mais tarde, seu segundo filho, Henry Fitzmaurice Hallam, morreu da mesma forma que seu irmão, no início do que poderia ser uma grande carreira. A morte prematura e os grandes talentos destes jovens, e a associação de um deles com o mais popular poema da época, tornaram as aflições da família Hallam mais conhecidas que quaisquer outros incidentes em sua vida. Ele sobreviveu à esposa, filha e filhos por muitos anos.

Hallam foi um fellow da Royal Society, e um administrador do Museu Britânico, e gozou de muitas outras distinções apropriadas. Em 1830 ele recebeu a medalha de ouro de história, fundada por George IV

HistoriadorEditar

ReferênciasEditar