Abrir menu principal

Homeless (canção de Leona Lewis)

"Homeless"
Canção de Leona Lewis
do álbum Spirit
Lançamento 9 de Novembro de 2007
Formato(s) Download digital
Gravação 2007; Air Lyndhurst Studios,
Londres, ING
Género(s) Pop · R&B
Duração 3:50
Editora(s) Sony BMG · J · Syco
Composição Jörgen Elofsson
Produção Steve Mac
Lista de faixas de Spirit
"Whatever It Takes"
(2)
"Better in Time"
(4)
Lista de faixas de
The Labyrinth Tour — Live at the O2
"The First Time Ever I Saw Your Face"
(14)
"Video Interlude:
They Don't Care About Us"
(16)

"Homeless" é uma canção gravada pela cantora e compositora britânica Leona Lewis para o seu álbum de estúdio de estreia, Spirit (2007). A sua letra foi escrita pelo compositor sueco Jörgen Elofsson, tendo a produção e arranjos ficado sob o comando de Steve Mac. Musicalmente, é uma balada de R&B com instrumentação simples consistente, em sua essência, em um piano e uma guitarra. O conteúdo lírico revolve em torno de uma mulher que se auto-descreve como uma "sem-abrigo" na ausência do seu namorado, ficando, então, ansiosamente à espera que ele retorne. Em geral, o tema foi recebido com opiniões mistas pela crítica especializada em música contemporânea, com algumas resenhas fazendo elogios ao desempenho vocal de Lewis e outras criticando a sua composição "insípida". Aquando do lançamento inicial de Spirit no Reino Unido, "Homeless" estreou no 173.º posto da tabela musical de canções devido a um forte registo de vendas digitais naquele território. A artista interpretou a faixa em 2008 no concerto KISS, promovido anualmente pela estação de rádio WXKS-FM, juntamente com "Bleeding Love" (2007) e "Better in Time" (2008). Além disso, a canção foi inclusa no repertório da digressão de estreia da cantora, The Labyrinth, em 2010.

Antecedentes e concepçãoEditar

O prémio de Lewis ao vencer a terceira temporada do programa de televisão britânico The X Factor em 2006 foi um contrato discográfico no valor de 1 milhão de libras estrelinas com a editora Sony BMG, na qual Simon Cowell, que foi o seu mentor no programa, era um executivo A&R.[1] Durante a transmissão do episódio final ao vivo, a jovem cantora fez um dueto da canção "A Million Love Songs" com Gary Barlow, vocalista da banda britânica Take That, que naquele momento comentou com Cowell: "Essa menina é provavelmente cinquenta vezes melhor do que qualquer outro concorrente que você já teve, então você tem uma grande responsabilidade de produzir uma obra maravilhosa com ela."[2] Cowell afirmou que as palavras de Barlow tiveram um impacto forte em si, portanto, a decisão tomada foi de não apressar o álbum de estreia da cantora, visto que ele agora pretendia obter "um disco incrível" repleto de material original, o que acreditava que não poderia ser feito em um período inferior a um ano.[3] Lewis também queria um álbum de alta qualidade do qual se poderia orgulhar.[4] O seu ex-mentor revelou-a que não se importava caso o álbum levasse três anos a ser produzido, desde que fosse feito da maneira certa.[5]

A 25 de Abril de 2007, foi publicado um comunicado de imprensa que revelava que Cowell e Clive Davis, presidente e CEO da editora discográfica J Records, iriam trabalhar na gravação das canções e selecção de produtores para o álbum.[6] Lewis realizou um mini-concerto para vários executivos de música norte-americanos no Hotel Beverly Hilton em Beverly Hills, Califórnia.[7] A produção do álbum acabou sendo prejudicada por um surto de amigdalite por parte da intérprete, surto este que coincidiu com a falta de produtores disponíveis para trabalharem no disco.[8][9] A artista revelou que intitulou o álbum de "Spirit" pois "o meu coração e a minha alma dizem-me que tudo é possível".[10] Foi dito ter-se um prazo de finalização da produção para Setembro de 2007, mas o disco só seria finalmente lançado dois meses depois.[9] O lançamento do álbum marcou Lewis como a primeira vencedora de um programa de televisão de talentos de sempre a receber um grande lançamento mundial apenas com o seu álbum de estreia.[6]

Estrutura musical e recepção críticaEditar

"Homeless" é uma balada de rhythm and blues poderosa.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"Homeless" foi gravada no Air Lyndhurst Studios na cidade de Londres, Inglaterra, após ter sido escrita pelo compositor sueco Jörgen Elofsson, enquanto Steve Mac ficara no comando da produção e arranjos.[11] É uma balada de rhythm and blues (R&B) poderosa,[12][13] com duração de três minutos e cinquenta segundos.[14][15] A canção é definida no compasso de tempo comum na tonalidade de Si menor com um andamento que se desenvolve no metrónomo de 68 batimentos por minuto. A instrumentação é providenciada pelo piano e uma guitarra. O alcance vocal de Lewis por pouco atinge duas oitavas à medida que parte da nota baixa de 3 até à nota alta de Si5.[12] As letras do tema giram em volta da artista enquanto essa espera que o seu namorado regresse a casa, onde ela o aguarda ansiosamente, pois se sente como uma sem-abrigo na sua ausência.[13] As letras iniciais são "Waiting here for you to call me / For you to tell me that ev'rything's a big mistake."[nota 1][12] Nick Levine, do blogue britânico Digital Spy, descreveu os vocais da cantora na frase "In this cold I'm walking aimless, feeling helpless" como "um tour de force de desespero e miséria".[nota 2][13]

"Homeless" recebeu opiniões mistas pelos críticos especialistas em música contemporânea. Na sua resenha de Spirit para a Virgin Media, Matt O'Leary elogiou a música, bem como "I Will Be", e escreveu que quando a ênfase é puramente colocada nos vocais da cantora sem muitas "decorações lustrosas de produção", a sua "unicidade tem caminho livre para brilhar".[16] Levine foi crítico para com a canção em geral, no entanto, apreciou alguns dos elementos da sua composição.[13] Embora tenha achado que a obra era "quase insuportavelmente sem vida", vangloriou a nota contínua que Lewis sustém durante a ponte, e escreveu que o "eeeeeeyeeaayaaaaay de doze segundos que salta/inicia o crescendo de 'Homeless' é um dos momentos pop mais deslumbrantes do ano."[13] Kitty Empire, para o The Guardian, escreveu: "a voz da intérprete é impressionantemente elástica ao longo [da faixa] mas carece de algum estilo. É demasiado perfeita, saltando entre notas tão altas quanto as montanhas, nunca sendo atraente, e nunca transgredindo [as regras]."[17] Um analista do The Sun descreveu o tema como uma obra "encharcada-de-cordas" e "derramadora-de-lágrimas".[18]

Apresentações ao vivoEditar

 
Lewis durante a apresentação de "Homeless" em um concerto da digressão The Labyrinth em 2010.

Lewis interpretou o tema pela primeira vez no Concerto KISS anual da estação de rádio WXKS-FM em 2008, juntamente com "Bleeding Love" (2007) e "Better in Time" (2008).[19] A obra foi também inclusa no repertório da digressão de estreia da artista, The Labyrinth, em 2010, sendo interpretada como a décima quinta canção do setlist.[20] Por consequência disso, "Homeless" acabou por aparecer no álbum ao vivo The Labyrinth Tour – Live at the O2 (2010), que compila todos os temas cantados pela intérprete durante a paragem da digressão na Arena O2 em Londres.[20] Chris Osuh, do Citylife, elogiou o desempenho ao vivo da artista, escrevendo que "'Homeless' fez troça do repertório cintilante de faixas de destaque, emoldurando os vocais superlativos perfeitamente."[21]

Alinhamento de faixasEditar

Na versão padrão de Spirit, "Homeless" é a terceira faixa. Na edição deluxe do álbum, também ocupa o terceiro lugar com uma nova versão.

  • Spirit (#88697222432)[22]
  1. "Homeless" (versão do álbum) — 3:50
  • SpiritThe Deluxe Edition (#88697359692)[23]
  1. "Homeless (versão de 2008) — 3:50

CréditosEditar

Os créditos seguintes foram adaptados do encarte do álbum Spirit (2007):[11]

Desempenho nas tabelas musicaisEditar

Após o lançamento de Spirit, "Homeless", conforme os dados publicados a 24 de Novembro de 2007, estreou no número 173 da tabela musical de canções do Reino Unido devido a fortes vendas digitais.[24]

ReferênciasEditar

Notas
  1. Em língua portuguesa: "Esperando aqui para que me telefones / Para que me digas que tudo é um grande erro."
  2. Em língua portuguesa (tradução livre): "Neste frio eu estou andando sem objectivos, sentindo-me desamparada".
Específicas


  1. «Leona crowned winner of X Factor» (em inglês). BBC News (British Broadcasting Corporation). 17 de Dezembro de 2006. Consultado em 8 de Fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 24 de Julho de 2012. I'm just shocked. It's unbelievable. I feel like my dream has come true, the dream I've been dreaming since a little girl has come true. "There were points I thought, 'You know what, I don't know if this is going to happen'. "But with the help from my friends and my family, they all kept telling me to believe in myself and keep on doing it and I did and now I'm here and thank you so much to them." 
  2. «Gary Barlow to pen track for Leona». Digital Spy (em inglês). The Hearst UK Entertainment Network. 10 de Janeiro de 2007. Consultado em 10 de Janeiro de 2007. Cópia arquivada em 24 de Julho de 2012. This girl is probably fifty times better than any other contestant you have ever had, so you have a big responsibility to make the right record with her," he told Simon Cowell at the final. 
  3. ILEY, Chrissy (14 de Outubro de 2007). «The transformation of Leona Lewis». The Times (em inglês). The Times Literary Supplement Limited 
  4. «Leona Lewis». Digital Spy (em inglês). The Hearst UK Entertainment Network. 24 de Outubro de 2007. Consultado em 28 de Janeiro de 2008. Cópia arquivada em 28 de Julho de 2012 
  5. COHEN, Jonathan (28 de Janeiro de 2008). «Leona Lewis Makes April Date With U.S.». Billboard (em inglês). Billboard-Hollywood Reporter Media Group. Consultado em 29 de Janeiro de 2008 
  6. a b «Clive Davis and Simon Cowell work on X Factor's Leona Lewis release» (em inglês). PR Newswire Association, LLC. Cision. 25 de Abril de 2007. Consultado em 13 de Março de 2007. Cópia arquivada em 13 de Setembro de 2012 
  7. «Leona Lewis creating waves Stateside». Hello! (em inglês). Hello, Ltd. 9 de Fevereiro de 2007. Consultado em 10 de Fevereiro de 2007. Arquivado do original em 9 de Dezembro de 2012 
  8. «No more Leonly nights». Mirror Online (em inglês). Reach, plc. Mirror Group Networks Limited. 19 de Agosto de 2007. Consultado em 28 de Janeiro de 2008. Cópia arquivada em 17 de Junho de 2007 
  9. a b KILKELLY, Daniel (13 de Maio de 2007). «Sick Leona flies home from Los Angeles». Digital Spy (em inglês). The Hearst UK Entertainment Network. Consultado em 13 de Maio de 2007 
  10. «Leona glams up for vid». The Mirror (em inglês). Trinity Mirror. 3 de Outubro de 2007. Consultado em 3 de Outubro de 2007. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2007 
  11. a b (2007) Créditos do álbum Spirit por Leona Lewis [encarte]. Londres: J Records (88697185262).
  12. a b c «Digital Sheet Music, Leona Lewis 'Homeless'». Musicnotes.com. Peer International Music Publishing (em inglês). 2007 
  13. a b c d e LEVINE, Nick (12 de Novembro de 2007). «Leona Lewis: 'Spirit'». Digital Spy (em inglês). Hachette Filipacchi Médias. Consultado em 23 de Janeiro de 2017. Homeless' [...] is almost unbearably bleak. [...] the 12-second "eeeeeeyeeaayaaaaay" that jump-starts the crescendo of 'Homeless' is one of the most dazzling pop moments of the year. 
  14. «Spirit – Leona Lewis» (em inglês). Austrália: iTunes (Apple, Inc.). 5 de Fevereiro de 2008. Consultado em 25 de Junho de 2012 
  15. «Spirit (Deluxe Edition)- Leona Lewis» (em inglês). Reino Unido: iTunes (Apple, Inc.). 28 de Novembro de 2008. Consultado em 25 de Junho de 2012 
  16. O'LEARY, Matt. «Leona Lewis: Spirit review» (em inglês). Virgin Media. Consultado em 23 de Janeiro de 2017. Cópia arquivada em 6 de Outubro de 2013. [...] but it’s when the onus is taken from the beats and glossy production trappings and placed on her voice alone – such as Homeless and the more epic I Will Be – that her uniqueness is allowed to shine. 
  17. EMPIRE, Kitty (4 de Novembro de 2007). «The flesh is willing but the spirit is weak». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media Trust Limited. Consultado em 23 de Janeiro de 2017. Lewis's voice is impressively elastic throughout but lacks any grit or style. It is too perfect, jumping up ladders of notes on 'Homeless', never catching, never breaking. 
  18. «Hear new Leona Lewis tracks». The Sun (em inglês). Londres: News Corp UK & Ireland Limited. Consultado em 25 de Junho de 2012. Cópia arquivada em 5 de Maio de 2013 
  19. «Leona Lewis - Homeless, Live @ Kiss Concert '08 (Pt 2)» (vídeo). Daily Motion (em inglês). Consultado em 24 de Janeiro de 2017. Cópia arquivada em 23 de Janeiro de 2017 
  20. a b «The Labyrinth Tour: Live At The O2» (em inglês). Amazon.co.uk, Inc. 29 de Novembro de 2010. Consultado em 25 de Junho de 2012 
  21. OSUH, Chris (7 de Junho de 2010). «News and reviews: Leona Lewis». Citylife (em inglês). M.E.N. Media. Consultado em 25 de Junho de 2012. Cópia arquivada em 23 de Julho de 2012 
  22. «Leona Lewis - Spirit (CD, Album)» (em inglês). Discogs. Consultado em 25 de Junho de 2012 
  23. «Leona Lewis – Spirit (The Deluxe Edition)» (em inglês). Discogs. Consultado em 25 de Junho de 2012 
  24. «Chart Log UK: Chart entries update» (em inglês). Zobbel. 24 de Novembro de 2007. Consultado em 25 de Junho de 2012