Homestead Act

A Lei da Propriedade Rural (em inglês, Homestead Act) foi uma lei federal americana criada pelo presidente Abraham Lincoln no dia 20 de maio de 1862.

Uma família de imigrantes noruegueses na Dakota do Norte, em 1898.

Para atrair imigrantes, o governo federal dos EUA decretou, em 1862, o Homestead Act, que definia a posse de uma propriedade com 160 acres (64 hectares) a quem a cultivasse por cinco anos[1]. Essa lei fez aumentar muito o fluxo de imigrantes europeus para a América. Na época, a Europa passava pelas guerras de unificação alemã e italiana e as alterações na estrutura fundiária ocorrida no continente ao longo do século XIX agravaram a pobreza que fez milhões de europeus buscarem melhores oportunidades mundo afora. Interessados na mão de obra desses imigrantes, os Estados Unidos estabeleceram a "Homestead Act" e a divulgaram pela Europa através de panfletos simples, de caráter atrativo e que mostravam o preço banal das terras (cerca de 4 dólares por 160 acres). As condições dispostas pela legislação contribuíram para aumentar então o fator atrativo para os imigrantes europeus que quisessem começar uma vida nos EUA.

A conquista do Oeste - que teve início com a compra da Louisiana em 1803 e terminou com a compra do Alasca em 1867 - coincidiu com o período de industrialização dos E.U.A.

Esta lei contribuiu decisivamente para o Sonho Americano e até o século XX cerca de 600 mil fazendeiros haviam ocupado cerca de 80 milhões de acres de terras.

Referências

  1. «The Homestead Act of 1862». National Archives (em inglês). 15 de agosto de 2016. Consultado em 28 de junho de 2021 

Ligações externasEditar