Abrir menu principal

A Fé Bahá'í define que a expressão sexual é aceitável somente dentro do casamento, e os escritos Bahá'ís relativos ao casamento definem exclusivamente o casamento entre um homem e uma mulher. Reforça ainda a importância da castidade absoluta para qualquer pessoa solteira.

Referências sobre a homossexualidade na Fé Bahá'í, descrevem como uma condição em que um indivíduo deve controlar e superar. Os Bahá'ís são livres para ensinar da maneira que achar melhor, e é reconhecido ser condenado a discriminação contra qualquer pessoa para abraçar a Causa Bahá'í, sejam homossexuais, alcoólatras ou agente de outras trangressões, mas serem apenas avisados que, ao se tornarem Bahá'ís, estão automaticamente procurando se adaptar ao padrão de vida 'designado por Deus'.[1]

Tratamento aos homossexuaisEditar

Um dos princípios (ver ensinamentos) da Fé Bahá'í é a eliminação de todos os tipos de preconceitos, sendo assim, não é permissível qualquer espécie de discriminação, mesmo referentes a qualquer tipo de trangressão às leis.

Os escritos Bahá'ís ensinam que as pessoas devem se relacionar a todos, incluindo homossexuais, com amor, respeito e dignidade.

Bahá'ís homossexuaisEditar

Quando um indivíduo homossexual se torna Bahá'í ou se é descoberto posteriormente que um indivíduo Bahá'í é homossexual, esse assunto é tratado em particular com as Assembléias Espirituais Locais. As AELs irão procurar ajudar o indivíduo a superar suas dificuldades, entretanto, nem os indivíduos, nem as instituições podem investigar a vida de outra pessoa. Somente quando alguma trangressão aos ensinamentos Bahá'ís estiver exposta ou prejudicar de alguma forma as instituições ou outros indivíduos, é que a AEL deve tomar alguma providência. É comumente deixado à consciência individual em relação aos seus atos e espera-se que com o tempo Deus possa ajudá-la a superar alguma dificuldade.

Embora seja deixado à consciência individual, qualquer ato que transgrida os ensinamentos de Bahá'u'lláh é considerado causa de algum dano na comunidade.

A Fé Bahá'í muitas vezes recebe críticas de pessoas que defendem ou consideram a prática da homossexualidade moralmente correta.

Escritos Bahá'ís sobre homossexualidadeEditar

Bahá'u'lláh no Kitáb-i-Aqdás, como também Shoghi Effendi, bem como diversas cartas dirigidas da Casa Universal de Justiça falam sobre a homossexualidade e definem de forma direta a postura da Fé Bahá'í em relação às práticas homossexuais.

Os Bahá'ís costumam expressar que a prática homossexual é condenável, não o homossexual ou a homossexualidade.

"Não obstante quão belo e devotado o amor entre pessoas do mesmo sexo possa ser, permitir que ele se expresse através de atos sexuais é errado. Afirmar que esse amor é ideal não é desculpa. Bahá'u'lláh efetivamente proíbe toda a sorte de imoralidade, e Ele assim considera as relações homossexuais."
(Resposta de Shoghi Effendi para um indivíduo, 26 de março de 1950, citado em Lights of Guidance)

Notas

  1. "When a person wishes to join the Faith and it is generally known that he or she has a problem such as drinking, homosexuality, taking drugs, adultery, etc., the individual should be told in a patient and loving way of the Bahá'í Teachings on these matters." (da Casa Universal de Justiça para a Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos, 11 de setembro de 2005
  Este artigo sobre fé bahá'í é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.