Abrir menu principal

O horóscopo é uma espécie de diagrama que define as posições relativas dos planetas e dos signos zodiacais num determinado dia específico, geralmente definido como o do nascimento de uma pessoa. A partir desse diagrama, então, os astrólogos tentam definir o caráter e a personalidade da pessoa, bem como prever fatos importantes em sua vida. Nesse sentido, o termo horóscopo é similar ao de um mapa astrológico.

No uso comum, "horóscopo" freqüentemente se refere à interpretação de astrólogos, geralmente baseados em um sistema solar; a partir da posição do Sol no momento do nascimento, ou no significado do calendário de um evento, como na astrologia chinesa. Em particular, muitos jornais e revistas trazem colunas preditivas, escritas em prosa que podem ser escritas mais para aumentar o público do que amarradas diretamente ao Sol ou a outros aspectos do sistema solar, supostamente baseadas em influências celestes em relação ao zodíaco, a colocação do Sol no mês de nascimento, cúspide (2 dias antes ou depois de qualquer sinal particular, uma sobreposição), ou decantar (o mês dividido em 3 períodos de dez dias) do mês de nascimento da pessoa, identificando o indivíduo ou "signo" baseado em zodíaco tropical.[1]

Nenhum estudo científico mostrou suporte para a precisão dos horóscopos, e os métodos usados para fazer interpretações são pseudocientíficos.[2][3][4][5][6]:1350 Na moderna estrutura científica, não existe interação conhecida que possa ser responsável pela transmissão da suposta influência entre uma pessoa e a posição das estrelas no céu no momento do nascimento.[7][8]

Referências

  1. «How Horoscopes Work». 29 de janeiro de 2005 
  2. Thagard, Paul R. (1978). «Why Astrology is a Pseudoscience» (PDF). The University of Chicago Press. Proceedings of the Biennial Meeting of the Philosophy of Science Association. 1: 223–234 
  3. Astrology. [S.l.]: Encyclopædia Britannica 
  4. Sven Ove Hansson, Edward N. Zalta. «Science and Pseudo-Science». Stanford Encyclopedia of Philosophy. Consultado em 6 de julho de 2012 
  5. «Astronomical Pseudo-Science: A Skeptic's Resource List». Astronomical Society of the Pacific 
  6. Hartmann, P.; Reuter, M.; Nyborga, H. (maio de 2006). «The relationship between date of birth and individual differences in personality and general intelligence: A large-scale study». Personality and Individual Differences. 40 (7): 1349–1362. doi:10.1016/j.paid.2005.11.017. To optimise the chances of finding even remote relationships between date of birth and individual differences in personality and intelligence we further applied two different strategies. The first one was based on the common chronological concept of time (e.g. month of birth and season of birth). The second strategy was based on the (pseudo-scientific) concept of astrology (e.g. Sun Signs, The Elements, and astrological gender), as discussed in the book Astrology: Science or superstition? by Eysenck and Nias (1982). 
  7. Peter D. Asquith, ed. (1978). Proceedings of the Biennial Meeting of the Philosophy of Science Association, vol. 1. Dordrecht u.a.: Reidel u.a. ISBN 978-0-917586-05-7 
  8. Vishveshwara, edited by S.K. Biswas, D.C.V. Mallik, C.V. (1989). Cosmic Perspectives: Essays Dedicated to the Memory of M.K.V. Bappu 1. publ. ed. Cambridge, England: Cambridge University Press. ISBN 0-521-34354-2 

Veja tambémEditar