Abrir menu principal

Horneblenda

anfíbola, serie mineral
(Redirecionado de Hornblendas)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde julho de 2015). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Fenocristais de horneblenda.

Hornblenda (do alemão Hornblende) é a designação dada a um grupo de minerais monoclínicos, do grupo das anfíbolas, constituídos por mistura isomorfa de silicatos de cálcio, magnésio, ferro, alumínio e, por vezes, também de sódio, manganês ou titânio. Assim o termo horneblenda não refere um mineral em particular, sendo antes uma designação genérica dada às anfíbolas de cor muito escura que não podem ser facilmente identificadas sem recurso à análise da sua composição química.

Origem do nomeEditar

A designação horneblenda deriva dos vocábulos alemães horn e blende, que significam encandear ou espantar. Para além do seu uso mineralógico estrito, o termo é por vezes utilizado para referir o lustro não metálico de minerais e rochas, como por exemplo em zincoblenda e a pitchblenda, formas lustrosas da uranite.

Composição e característicasEditar

Não designando especificamente um mineral (no sentido de uma substância com composição química relativamente fixa), as horneblendas são misturas isomorfas de três moléculas: o silicato de Cálcio-Ferro-Magnésio; o silicato de Alumínio-Ferro-Magnésio; e o silicato de Ferro-Magnésio. Iões de Manganês, Titânio e Sódio estão por vezes presentes, e o Flúor frequentemente substitui o radical hidroxilo na estrutura cristalina. Em função dos metais dominantes na sua composição as horneblendas são em geral designadas por Magnésio-hornbelenda, Ferro-horneblenda, Alumíno-ferro-hornblenda e Alumíno-magnésio-horneblenda. Assumindo a diversidade química das hornblendas, a fórmula geral pode ser dada por: (Ca,Na)2-3(Mg,Fe,Al)5(Al,Si)8O22(OH,F)2.

As horneblendas têm uma dureza de 5 a 6 na Escala de Mohs, uma densidade de 2.9 a 3.4, e são tipicamente verde opaco, verde acastanhado, castanho ou preto, predominando os tons escuros. Apesar da sua abundância, as horneblendas aparecem em geral sob a forma de pequenos cristais inconspícuos, sendo raros os cristais de grande dimensão. Aparece por vezes sob a forma de pequenas estruturas aciculares de cor negra.

Como regra, quanto maior for a riqueza em ferro mais escuras e menos translúcidas são as horneblendas. Uma variedade de horneblenda que contém menos de 5% de Ferro, a edenite, é cinzenta esbranquiçada.

Outros minerais no grupo das horneblendas são a pargasite, hastingsite e a tschermakite. As horneblendas alteram-se facilmente para clorite e epídoto.

RochasEditar

As horneblendas são minerais muito comuns nas rochas ígneas e metamórficas, tais como os granitos, sienitos, dioritos, gabros, basaltos, andesitos, gneisses e xistos. É o principal mineral dos anfibolitos. As horneblendas negras e castanho muito escuro, ricas em titânio, são em geral designadas por horneblendas basálticas, dado serem um dos constituintes comuns dos basaltos e rochas vulcânicas similares.

Veja tambémEditar

ReferênciaEditar

  • HURLBUT, Cornelius S.; KLEIN, Cornelis, 1985, Manual of Mineralogy, 20th ed., John Wiley and Sons, New York, pp. 416-477, ISBN 0471805807.

Ligações externasEditar