Abrir menu principal
IBRAVA - Indústria Brasileira de Veículos Automotores Ltda
Privada
Fundação 2008 (11 anos)
Sede Feliz, RS,  Brasil
Locais Feliz, RS,  Brasil
Campina Grande, PB,  Brasil
Pessoas-chave Miguel Rizzo
Empregados 70 (2015)
Produtos Carrocerias para ônibus
Website oficial www.ibrava.com.br/index.html/

A IBRAVA - Indústria Brasileira de Veículos Automotores Ltda. foi uma encarroçadora de ônibus brasileira, com sede na cidade de Feliz, no Rio Grande do Sul.[1]

Em fevereiro de 2016, a empresa paralisou temporariamente suas operações[2], em decorrência da crise econômica nacional, após uma frustrada tentativa de venda de suas operações para o grupo SteelBus, ocorrida em outubro de 2015.[3][4]

Índice

HistóricoEditar

A empresa foi fundada no ano de 2008, com foco na produção de micro-ônibus para transporte coletivo urbano, visando atender especialmente as cooperativas de transporte da capital paulista. Inicialmente, constituída em Nova Petrópolis (Rio Grande do Sul), devido ao volume de pedidos recebidos, a empresa se viu obrigada a migrar para instalações maiores, então em maio de 2009, se estabeleceu nos galpões da antiga Reichert Calçados, na cidade de Feliz, no mesmo estado, iniciando a produção do modelo Brasil MDO 300, também conhecido como a primeira geração do micro-ônibus Apollo.[3]

No ano de 2009, a IBRAVA lançou o modelo Apollo, micro-ônibus urbano, em substituição ao Brasil MDO 300. Também foi lançada a versão trucada, chamada Centauro, que teve apenas uma unidade produzida.

Em 2010, em parceria com a TuttoTrasporti, a IBRAVA lançou seu primeiro ônibus urbano, o Trólebus, movido a energia elétrica.[5], modelo que não obteve sucesso na sua adesão ao sistema de transporte paulistano, através da empresa Himalaia Transportes Ltda, uma das operadoras do sistema de transporte urbano por ônibus elétrico da capital paulista.

Em 2013 foi lançado o modelo Hércules, o primeiro modelo de ônibus médio (também conhecido como midi) da fabricante.[3]

Em outubro de 2013, a IBRAVA assinou protocolo de intenções para a instalação de uma nova unidade fabril, na cidade de Campina Grande, no estado da Paraíba, com expectativa de aporte no valor de R$ 50 milhões[6] e estimativa de produzir três mil carrocerias por ano.[7]

Em fevereiro de 2016, após dissolução de tentativa frustrada de venda de suas operações, a IBRAVA demitiu seus colaboradores e interrompeu suas atividades em carácter temporário, visando aguardar melhora da crise econômica que afeta o Brasil desde 2014.[2]

ModelosEditar

Micros
  • Centauro (2009)
  • Apollo (2009-2016)
  • Brasil MDO 300 (2008-2009)
Midi
  • Hércules (2013-2016)
Urbanos
  • Trólebus (2010-2011)

Referências

  1. https://diariodotransporte.com.br/2016/02/05/ibrava-e-outra-encarrocadora-de-onibus-que-fecha-as-portas-por-causa-de-crise-brasileira/ Diário do Transporte. Ibrava é outra encarroçadora de ônibus que fecha as portas por causa de crise brasileira
  2. a b «Ibrava fecha montadora de ônibus e demite 70 funcionários». Fato Novo. 05 de fevereiro de 2016. Consultado em 23 de março de 2016. Arquivado do original em 7 de abril de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. a b c «Ibrava - História». Lexicar Brasil. Consultado em 23 de março de 2016 
  4. «Administração se reúne com a empresa Ibrava para esclarecer possível fechamento da empresa». Prefeitura Municipal de Feliz/RS. 5 de fevereiro de 2016. Consultado em 23 de março de 2016 
  5. Roberto Hunoff (13 de abril de 2010). «Empresa gaúcha lança nova versão de ônibus elétrico». Jornal do Comércio. Consultado em 23 de março de 2016 
  6. «Campina Grande vai ganhar fábrica de ônibus e outras 13 empresas». Paraíba Total. 15 de outubro de 2013. Consultado em 23 de março de 2016 
  7. «Fábrica em Campina produzirá cerca de 3 mil ônibus por ano». Correio da Paraíba. 1 de agosto de 2013. Consultado em 23 de março de 2016. Arquivado do original em 7 de abril de 2016 

Ver tambémEditar