Ibá de Oxaguiã

Ibá de Oxaguiã (em iorubá: igba òṣà ògìnyán)[1] ou assentamento de Oxaguiã como é chamado popularmente pelo povo de santo, são construídos com materiais de porcelana ou louça na cor branca, bem parecido com o ibá de Oxalufã, diferenciando-se por determinados apetrechos. Geralmente com um agadá "espada", escudo, mão de pilão e pombos, todos construídos de prata, chumbo ou estanho preso na tampa que cobre uma terrina onde são guardados os objetos mais valiosos deste orixá.

ConfecçãoEditar

Dentro de uma terrina de porcelana ou louça branca são dispostos vários apetrechos, são encontrados uma média de oito (8) ou dezesseis (16): búzios, pequenas bolas de chumbo, obis, moedas de prata, confirmando sua ligação com os odus Ejionilê, e o sagrado apetrecho mais importante de todos os orixás, o otá, tudo isso conservado com manteiga de carité chamado de ori ou limo da costa, azeite doce e mel de abelha.

A terrina é colocada no centro de uma bacia, também de porcelana, sobre dois (2) pratos que servirá de apoio e mais oito devidamente equilibrados simbolizando os pontos cardeais e pontos colaterais, ornados com cascos de Ibim utilizados nos sacrifícios e objetos de marfim, colocada cuidadosamente sobre um pilão.

Referências

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Ibá de Oxaguiã


  Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.