Ideal (jornal)

Ideal é um jornal diário em espanhol editado e publicado em Granada.

Ideal
Ideal.gif
Sede Peligros (Granada)
Fundação 8 de maio de 1932
Fundador(es) Pedro Gómez Aparicio
Editor Corporación de Medios de Andalucía (Vocento)
Circulação 31,006 cópias (2010)[1]
Publicações irmãs
ISSN 1132-0117
Página oficial Ideal.es

Faz parte da Corporación de Medios de Andalucía, que por sua vez pertence ao Grupo Vocento.[2] Fundado em 1932 pela Editorial Católica, desde então tem uma longa história. Embora a publicação seja amplamente difundida ao leste da Andaluzia, o Ideal é distribuído nas províncias de Granada, Almeria e Xaém, onde tem edições locais.[3] Atualmente, é o jornal com maior número de assinaturas nessas províncias e um dos principais jornais da Andaluzia, alcançando em 2010 cerca de 164.000 leitores diários, de acordo com o El General General de Medios (EGM).[4]

HistóriaEditar

O Ideal tem suas origens no diário católico e conservador La Gaceta del Sur, que encerrou em 1931. A hierarquia católica de Granada decidiu lançar um novo jornal, contando com a colaboração de jornalistas como Ángel Herrera Oria y de Pedro Gómez Aparicio.[5] O jornal entrou em circulação pela primeira vez em 8 de maio de 1932.[6] Foi editado pela Editorial Católica.[7] Nestes primeiros anos de existência, era um jornal claramente conservador,[8] e seu principal rival jornalístico era o liberal El Defensor de Granada.[9] No contexto da década de 1930, o Ideal era o jornal mais bem impresso da província,[10] superando outros publicados neste período.[a] Durante essa época, destacou o trabalho de Ramón Ruiz Alonso,[10] o tipógrafo do jornal.[12] Durante os anos da Segunda República, a publicação atingiu uma circulação de 9000 cópias,[13] de acordo com o CEDA.[14]

Em 10 de março de 1936, um grupo de direitistas[b] incendiou os escritórios da Ideal.[16] Como consequência, o jornal não circulou por alguns meses. No início de julho, o jornal retornou a Granada, pouco antes do início da Guerra Civil Espanhola.

SuplementosEditar

Aos domingos, como muitos outros jornais do Grupo Vocento, a Ideal distribui o suplemento XLSemanal. É um jornal geral, com reportagens e colaborações de escritores como Arturo Pérez-Reverte e Juan Manuel de Prada.

DiretoresEditar

O diário foi dirigido desde a fundação pelos seguintes periodistas:[17]

Nome Duração Notas
Pedro Gómez Aparicio 1932-1934 Fundador
Fernando de Eguía Martínez 1934-1936
Ernesto la Orden Miracle 1936
Santiago Lozano García 1936-1938 Guerra Civil
Aquilino Morcillo Herrera 1938-1952
Santiago Lozano García 1952-1971
Melchor Saiz-Pardo Rubio 1971-2002 Aquisição pela Vocento.
Eduardo Peralta de Ana 2002 - Presente

Notas

  1. Depois de Ideal e El Defensor de Granada, o republicano La Publicidad (Granada)|La Publicidad]] e o independente Noticiero Granadino foram publicados.[11]
  2. O historiador Hugh Thomas, citando Ian Gibson, aponta que esse incêndio fora obra de direitistas, que o teriam feito como provocação.[15]

Referências

  1. Reig García 2011, p. 610.
  2. Reig García 2011, pp. 200, 348.
  3. Reig García 2011, p. 348.
  4. Reig García 2011, p. 436.
  5. Ruiz Sánchez 2005, p. 27.
  6. Blanco Martín 2014, p. 451.
  7. Ruiz Sánchez 2005, p. 69.
  8. Ruiz Sánchez 2005, p. 28.
  9. Ruiz Sánchez 2005, p. 25.
  10. a b Ruiz Sánchez 2005, p. 29.
  11. Reig García 2011, pp. 114, 119, 140.
  12. Gibson 1981, p. 152.
  13. Reig García 2011, p. 119.
  14. Checa Godoy 1989, p. 202.
  15. Thomas 1976, p. 27.
  16. Gibson 1981, p. 60.
  17. «IDEAL». Andalupedia 

BibliografiaEditar

  • Armentia, José Ignacio; Caminos, José María (2009). Redacción Informativa en Prensa. Ariel. [S.l.: s.n.] ISBN 978-84-344-1312-2 
  • «El Ideal Gallego (1935-1955): baluarte católico en Galicia». Comunicación y Hombre. ISSN 1885-365X 
  • Blanco Martín, Miguel Ángel (2014). Cultura, periodismo y transición democrática en Almería (1973-1986). Universidad de Almería. [S.l.: s.n.] 
  • Checa Godoy, Antonio (1989). Prensa y partidos políticos durante la II República. Universidad de Salamanca. [S.l.: s.n.] ISBN 84-7481-521-5 
  • Checa Godoy, Antonio (1991). Historia de la prensa andaluza. Fundación Blas Infante. [S.l.: s.n.] 
  • Gibson, Ian (1981). El Asesinato de Federico García Lorca. publisher Bruguera. Barcelona: [s.n.] 
  • Martín Aguado, José Antonio; Vilamor, José R. (2012). Historia del Ya: sinfonía con final trágico. Fundación Universitaria San Pablo CEU. [S.l.: s.n.] ISBN 978-84-15382-50-8 
  • Martín García, Óscar J. (2006). A tientas con la democracia. Catarata. Madrid: [s.n.] ISBN 978-84-8319-390-7 
  • Reig García, Ramón (2011). La comunicación en Andalucía: Historia, estructura y nuevas tecnologías. Centro de Estudios Andaluces. Sevilla: [s.n.] ISBN 978-84-939078-0-8 
  • Ruiz Sánchez, José-Leonardo (2005). Catolicismo y comunicación en la historia contemporánea. Universidad de Sevilla. [S.l.: s.n.] 
  • Thomas, Hugh (1976). Historia de la Guerra Civil Espyearla. Círculo de Lectores. Barcelona: [s.n.] ISBN 84-226-0874-X 

Ligações externasEditar