Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes (desde abril de 2014). Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Igarapé Mágico
Informação geral
Formato Didático
Género
Duração Até 12 minutos
Criador(es) Bia Rosenberg
Rogério Brandão
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Bia Rosenberg
Produtor(es) José Henrique Caldas
Ricardo Whately
Filipe Atíthe
Produtor(es) executivo(s) Ana Monte
Cristina Lazari
Editor(es) Augusto Medeiros
Distribuída por Dogs Can Fly Content Co.
Roteirista(s) Bia Rosenberg
Flávio de Souza
Elenco Hugo Picchi
Mariana Elisabetsky
Magda Crudelli
Roberta Estrela D'Alva
Paulo Sokobauno
Edu Alves
Compositor da música-tema Hélio Ziskind
Empresa(s) de produção Avalanche Filmes
Localização São Paulo, SP
Exibição
Emissora de televisão original TV Brasil
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 20 de janeiro de 2014 – presente
N.º de episódios 26 (lista de episódios)
Cronologia
Programas relacionados Cocoricó

Igarapé Mágico é um seriado de televisão didático brasileiro, produzido pela Avalanche Filmes e exibido pela TV Brasil. Foi criado por Bia Rosemberg e Rogério Brandão, e é exibido desde o dia 20 de janeiro de 2014. Do gênero infantil e musical, o seriado mostra a cultura e a preservação da fauna e da flora da região amazônica, através do dia a dia de personagens característicos da região.

Índice

EnredoEditar

Nesse igarapé cheio de aventuras e músicas, estão os quatro amigos: Maná, Cotinha, Bitelo e Ceci. Quase todos os dias, eles embarcam em coisas novas e divertidas para fazer. Junto com a enxerida perereca Quinha e o preguiçoso jacaré Jaca Zé, as trama fica mais divertida. E com a ajuda da mítica Iara, que ajuda em dúvidas difíceis, e aprendem mais.

PersonagensEditar

  • Maricota "Cotinha" (Magda Crudelli) - É uma piranha laranja de 6 anos de idade, cheia de dentes, vegetariana e melhor amiga de Maná, o peixe-boi. Ela é amigável e gosta bastante da Iara. Faz todos rirem e inventa um monte de aventuras, onde Bitelo não pode se meter, mas acaba indo ele, ela, Maná e Ceci. Tem medo de entrar na gruta e arranja uma desculpa para não entrar, tipo, por que lá é escuro ou que ela está cega por causa do sol. Visto no 3º episódio (Vamos ganhar o mundo!), ela já conhecia o Jaca Zé.
  • Maná (Edu Alves) - Ele é um peixe-boi todo cinzento, que também tem 6 anos de idade e melhor amigo de Cotinha. Ele se mudou para o igarapé, pois sua família era caçada por humanos, mostrado no 5º episódio (O coração da Iara) e ele tem medo disso, por isso se mudou para o igarapé, é mais calmo. Ele é leal, companheiro e bom amigo para se ter, e muito brincalhão e seus amigos não sabiam que ele é um mamífero, mostrado no 2º episódio (O que tem lá em cima?).
  • Bitelo (Hugo Picchi) - Ele é um pirarucu pitanga, vermelho escuro (nas costas) e cinza (na frente) de 3 anos e amigo de Cotinha, Maná e Ceci. Sempre se mete em confusões, e seus amigos o salvam, mas ele tem que aprender a ir sozinho ou ser mais cauteloso daqui a alguns anos, pois ele ainda é muito pitanga(pequeno), como nos episódios 6 (Garrafa ou gafanhoto?) e 11 (Caiu na rede é peixe!), mas ainda é um bom pirarucu.
  • Ceci (Mariana Elisabetsky) - Ela é uma cobra sucuri amarela (na frente) e marrom (atrás, com manchas) de 6 anos e melhor amiga de Cotinha, Maná e Bitelo. Tudo que se pode dizer de nossa amiga cobra, é que ela é sentimental e sempre chora quando a irritam, quando acontece algo errado, quando está com medo e quando se esquecem do seu aniversário e seu abraço é tão forte, que pode esmagar um animal maior que ela, até virar purê. É tudo isso e seu nome é quase tão grande quanto seu corpo, que não dá para escrever, mas tem 7 palavras.
  • Quinha (Mariana Elisabetsky)- Ela é uma perereca verde com manchas pretas adolescente, "amiga" de todo mundo. É muito enxerida na conversa dos outros, e gosta de comer vaga-lumes. Já aparece no 1º episódio se intrometendo e conta mentiras (ela até aproveitou um eclipse, para enganá-los). Mas ainda é uma boa perereca. Dublada e manipulada por Mariana Elisabetsky.
  • Jaca Zé (Paulo Sokobauno) - Ele é um jacaré pequeno todo esverdeado adolescente, amigo de todo mundo. Apesar d'ele ser um jacaré, ele é muito amigável e ele não sabe cantar muito bem. Ele é conhecido por trocar o nome de todo mundo (tipo 'Ceci', ele troca por 'Gabi'). Gosta de ficar sem fazer nada, descansando no tronco.
  • Iara, a Mãe d'água (Roberta Estrela D'Alva) - Ela é a sabedoria de todo o igarapé. Usa enfeites no seu corpo cor laranja. Ela diz enigmas em que os outros personagens não conseguem decifrar, mas no final acaba dando tudo certo. O seu local preferido é a nascente, onde ela canta ou se olha no espelho. Ela está pronta para ajudar qualquer problema e conversa com belezas naturais do amazonas, como o Sr. Vento.
  • Philierodius Pileatos (Edu Alves) - Ele é uma garça-real branca-amarelada com cabelo escuro. É narrador das histórias do Igarapé Mágico. Nunca falta e ele fica na beirada do igarapé. Sempre se apresenta ao telespectador e conta o início, o meio e o fim das histórias e ensina coisas que os personagens aprenderam.

ProduçãoEditar

A colunista Cristina Padiglione, do site do jornal Estadão, acompanhou o procedimento e finalização da produção, que parte de seis cenários desenhados à mão, e que depois são modelados e texturizados em 3D; algas, plantas, folhas e água foram individualmente animadas. Logo depois, atores que manipulam bonecos e vestem macacões colados ao corpo, com capuzes azuis (para se "camuflar" com o chroma key ao fundo) fazem encenações. Assim, imagem dos atores é apagada, para que só os bonecos sejam então, inseridos ao cenário animado.[1]

LocaisEditar

Do IgarapéEditar

  • Nascente - É aonde a Iara fica se olhando no espelho ou cantando.
  • Beirada da Canoa - É aonde os humanos jogam objetos lá de fora e os personagens acham-nos. Tipo uma colher (para eles é uma vassoura), ou uma bandeja (para eles é um chapéu especial).
  • Balçeiro - É aonde os galhos ficam enroscados nas algas.
  • Gruta - É o lugar mais escuro do Igarapé, todos entram lá, exceto Cotinha, por causa do escuro, mas foge de entrar com uma desculpa.

De fora do IgarapéEditar

  • Mar - É aonde o 'quarteto' foi no 3º episódio para conhecer como é, mas da errado.

MúsicasEditar

  • Canção do amigo - Cantada no 1º e 11º episódio, por Cotinha, Maná, Bitelo, Ceci, Quinha e Jaca Zé.
  • Iara - Cantada no 1º episódio, por Iara.
  • Maná, o peixe boi - Cantada no 2º episódio, por Cotinha, Maná, Bitelo, Ceci, Quinha e Iara.
  • Vaga-Lumes - Cantada no 4º episódio, por Cotinha, Maná, Bitelo, Quinha e Vaga-lumes.
  • Xô Medo - Cantada no 9º e 13º episódio, por Cotinha, Maná, Bitelo e Ceci.
  • Amor de Jacaré - Cantada no 12º episódio, por Cotinha, Maná, Bitelo, Jaca Zé e Vaga-lumes.

EpisódiosEditar

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar