Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes (desde abril de 2014). Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Igarapé Mágico
Informação geral
Formato Didático
Gênero
Duração 12 minutos
Estado Encerrado, em reprise
Criador(es) Bia Rosenberg
Rogério Brandão
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Bia Rosenberg
Produtor(es) José Henrique Caldas
Ricardo Whately
Filipe Atihé
Produtor(es) executivo(s) Ana Monte
Cristina Lázari
Editor(es) Augusto Medeiros
Roteirista(s) Bia Rosenberg
Flávio de Souza
Elenco Hugo Picchi
Mariana Elisabetsky
Magda Crudelli
Roberta Estrela D'Alva
Paulo Sokobauno
Edu Alves
Compositor da música-tema Hélio Ziskind
Empresa(s) de produção Dogs Can Fly Content Co.
Exibição
Emissora de televisão original TV Brasil
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 20 de janeiro de 2014 – presente
N.º de episódios 26 (lista de episódios)

Igarapé Mágico é um seriado de televisão didático brasileiro criado por Bia Rosemberg e Rogério Brandão, produzido pela Dogs Can Fly Content Co. e exibido desde 20 de janeiro de 2014 pela TV Brasil. Voltado ao público infantil, especialmente para crianças de três a seis anos, o seriado retrata a cultura e a importância da preservação da fauna e da flora amazônicas através da rotina de personagens característicos da região, que são representados em forma de bonecos.

EnredoEditar

Nesse igarapé cheio de aventuras e músicas, estão os quatro amigos: Maná, Cotinha, Bitelo e Ceci. Quase todos os dias, eles embarcam em coisas novas e divertidas para fazer. Junto com a enxerida perereca Quinha e o preguiçoso jacaré Jaca Zé, as trama fica mais divertida. E com a ajuda da mítica Iara, que ajuda em dúvidas difíceis, e aprendem mais.

PersonagensEditar

  • Cotinha (Magda Crudelli) - É uma piranha de seis anos de idade, e é a mais extrovertida da turma, sempre inventando várias ideias para pôr em prática com seus amigos no igarapé.
  • Maná (Edu Alves) - É um peixe-boi de seis anos bastante amigável e destemido. É o morador mais novo do igarapé, mudando-se para o local com sua família, oriunda do mar.
  • Bitelo (Hugo Picchi) - Ele é um pirarucu de três anos, o mais novo da turma, que está sempre à procura de diversão, metendo-se, por vezes, em algum problema. Por ser criança e chorar quando é contrariado, é considerado por seus amigos reclamão.
  • Ceci (Mariana Elisabetsky) - É uma sucuri de seis anos, e é a mais sentimental da turma, emocionando-se sempre que observa ou pensa em algo triste.
  • Quinha (Mariana Elisabetsky) - É uma perereca considerada enxerida, pois está sempre intrometendo-se na conversa de seus amigos ou contando alguma fofoca.
  • Jaca Zé (Paulo Sokobauno) - É um jacaré adolescente que está sempre querendo mostrar que é o mais maduro da turma, brincando com o fato de seus amigos serem menores na questão da idade.
  • Iara (Roberta Estrela D'Alva) - É a mãe d'água do igarapé, considerada a mais sábia do local, ajudando à turma a se fazer atitudes corretas.
  • Philierodius Pileatos (Edu Alves) - É uma garça-real que, na beira do igarapé, narra as histórias vividas pelos personagens.

ProduçãoEditar

A colunista Cristina Padiglione, do site do jornal Estadão, acompanhou o procedimento e finalização da produção, que parte de seis cenários desenhados à mão, e que depois são modelados e texturizados em 3D; algas, plantas, folhas e água foram individualmente animadas. Logo depois, atores que manipulam bonecos e vestem macacões colados ao corpo, com capuzes azuis (para se "camuflar" com o chroma key ao fundo) fazem encenações. Assim, imagem dos atores é apagada, para que só os bonecos sejam então, inseridos ao cenário animado.[1]

ExibiçãoEditar

Classificado como "livre para todos os públicos", Igarapé Mágico teve seus treze primeiros episódios exibidos pela TV Brasil de segunda à sexta-feira, entre 20 de janeiro e 5 de fevereiro, dentro do bloco infantil Hora da Criança às 9h00 e às 13h30, além de ser reprisado aos domingos, às 12h30. Os treze episódios restantes foram exibidos entre 28 de julho e 13 de agosto. Desde então, mesmo com as mudanças que a emissora realiza anualmente em sua grade de programação, o seriado continua sendo reprisado normalmente, sendo transmitido dentro do bloco TV Brasil Animada de segunda à sexta e aos domingos, às 10h15.

No segundo semestre de 2015, Igarapé Mágico é adquirido pelo canal de TV por assinatura Zoomoo. Deixou de ser exibido posteriormente.[quando?]

EpisódiosEditar

N.º Título Data de exibição original
1 "Vamos brincar de aventura?" 20 de janeiro de 2014
Maná é um peixe-boi que mudou-se com sua família, oriunda do mar, para um igarapé amazônico, onde conhece Cotinha, sua primeira amizade, que mostra-lhes alguns pontos da correnteza, além de apresentar-lhes a outros moradores, cada um com características bem diferentes, criando uma grande relação amistosa com todos. 
2 "O que tem lá em cima?" 21 de janeiro de 2014
De vez em quando, Maná misteriosamente vai para a superfície do igarapé, e seus amigos consultam à Iara para saber o que tanto é feito pelo peixe-boi por lá, sendo informados que, por ser também um mamífero, precisa sair da água para respirar. 
3 "Vamos ganhar o mundo!" 22 de janeiro de 2014
Cotinha e Maná encontram uma foto do mar e combinam com Ceci de visitá-lo nadando por um grande rio. Porém, tentam despistar Bitelo, já que o pequeno pirarucu não aguenta um passeio longo por muito tempo. O plano não dá certo e todos acabam indo rumo a seu destino. Ao voltarem, vão de encontro à forte correnteza, e contam com a ajuda de Jaca Zé, um novo amigo, para chegarem protegidos ao igarapé. 
4 "Os vaga-lumes invisíveis" 23 de janeiro de 2014
Cotinha, Maná e Bitelo estranham a cantoria de vaga-lumes que não estão sendo vistos, partindo à sua procura. Ao descobrirem que estão dentro da barriga de Quinha, eles tentam fazer com que os pequenos cantores saiam da perereca. 
5 "O coração da Iara" 24 de janeiro de 2014
Cotinha, Maná e Bitelo procuram por uma pedra em forma de coração que será dado de presente à Iara. Após acharem, o peixe-boi depara-se com uma menina e apavora-se, já que vários de seus parentes foram capturados por humanos. 
6 "Que bicho é esse?" 27 de janeiro de 2014
Bitelo convida Cotinha e Jaca Zé para brincar, e ambos recusam para ir à gruta pegar uma concha da piranha, que tem medo de entrar no local. Irritado, o filhote de pirarucu decide brincar sozinho e assusta-se com uma coisa que, para ele, é um bicho apavorante, e chama seus amigos para ver o que é. 
7 "Me dá um abração?" 28 de janeiro de 2014
Ceci está fazendo aniversário e seus amigos preparam uma festa surpresa, mas ao tentarem despistar a sucuri, acabam entristecendo-a, achando que ninguém se lembrou da data. Ao descobrir a comemoração feita dentro da gruta, ela pede um abraço da turma, que recusa, já que o mesmo é tão forte que pode esmagá-los. 
8 "Garrafa ou gafanhoto?" 29 de janeiro de 2014
Jaca Zé e Quinha deparam-se com garrafas flutuando sobre a superfície do igarapé, objetos que, para eles, são estranhos. Bitelo procura desesperadamente por algo para comer, e tenta engolir uma das garrafas, ficando engasgado. Após salvar o pirarucu, a turma forma uma corrente de limpeza e reutiliza as garrafas para fazer uma pequena balsa. 
9 "Valentão, mas nem tanto" 30 de janeiro de 2014
Cotinha conta uma história assustadora para seus amigos, e Jaca Zé gaba-se de que de nada tem medo, além de duvidar que a piranha entre na gruta, coisa que a apavora bastante. Ao tentar enfrentar esse medo, leva um grande susto do jacaré, e Ceci tem uma ideia para provar se ele é realmente valentão como fala. 
10 "A rainha do Igarapé" 31 de janeiro de 2014
Quinha tenta contar para seus amigos uma história que teve com uma garça-real, mas ninguém quer ouvir pois já está repetida, além de acharem que é mentira. A perereca ouve Iara ser informada pelo vento que ocorrerá um eclipse solar no igarapé, e ao saber do que trata-se, bola um plano de fingir escurecer o dia para ser respeitada por todos como uma rainha. Cotinha desconfia e conta à mãe d'água o que está acontecendo, desmascarando a perereca logo depois. 
11 "Caiu na rede é peixe" 3 de fevereiro de 2014
Quinha é convidada para jogar bola com Cotinha e Maná, e acaba sendo atingida em cheio, saindo da brincadeira. Bitelo tenta entrar no jogo, mas é impedido e fica bastante chateado. O pirarucu, ao ir para a beirada da canoa brincar sozinho, acaba preso em uma rede de pesca. Seus amigos o procuram pelo igarapé, e ficam desesperados para tentar salvá-lo. Quinha pede ajuda à Iara, que dá uma dica: Cotinha precisa dar um grande sorriso, ou seja, cortar a rede com seus dentes. 
12 "Jacaré também tem coração" 4 de fevereiro de 2014
Cotinha, Maná e Bitelo ensaiam uma cantoria, e Jaca Zé conta a eles que está apaixonado por uma jacaré fêmea chamada Jacarina. Quinha intromete-se na situação e pergunta se o jacaré dará algum presente para a nova companheira, e a piranha sugere uma canção de amor, porém ele não sabe cantar. Assim, o peixe-boi é escolhido para interpretar na hora, enquanto Jaca Zé apenas mexeria a boca. Mas Maná começa a tossir e Jacarina descobre o plano. Ao final, os vaga-lumes cantam a música para os dois. 
13 "Lua cheia... ou vazia?" 5 de fevereiro de 2014
Cotinha e Ceci encontram-se e a piranha convence a sucuri de tomar uma banho de lua naquela noite. Maná sabe e tenta resistir, mas acaba embarcando no plano. Os três não querem contar para Bitelo, já que o pirarucu não aguenta viagens longas, mas o pequeno ouve e insiste em ir. Então, todos ficam à noite para observar a lua. Durante o passeio, como esperado, Bitelo reclama de fome, contagiando os outros. Ao tentarem voltar para casa, os amigos perdem-se em meio à escuridão das nuvens cobrindo a lua, e cantam para afastar o medo. 
14 "Corpo estranho" 28 de julho de 2014
Cotinha e Maná começam a brigar por conta de suas características e acabam magoando Bitelo. Iara, já sabendo da situação, realiza uma mágica onde ambos trocam de corpo, aprendendo assim a lhe dar e a aceitar suas diferenças. 
15 "Com quem eu vou brincar?" 29 de julho de 2014
Cotinha é rejeitada por seus amigos, e procura pela Iara para saber o que fazer. A dica dada é a piranha fazer algo que sua melhor amiga faz quando ninguém está por perto, e lembra-se que Ceci, nestas ocasiões, conversa consigo mesma diante do espelho, brincando sozinha. 
16 "Pra que servem os amigos?" 30 de julho de 2014
Bitelo está à procura de Maná para brincar, e chama Cotinha para procurá-lo também, e depois Jaca Zé e Ceci. Quinha avisa a eles que o peixe-boi está enroscado em alguns galhos, mas o mesmo explica à turma que estava tentando contar até mil sem respirar debaixo d'água. 
17 "Como você vai ser quando crescer?" 31 de julho de 2014
Cotinha, Maná e Bitelo estão jogando bola, e Quinha fica chateada por não ter sido convidada para a brincadeira. Falando sozinha, ela pensa em contar o que houve à Iara, e Jaca Zé e Ceci acham que os amigos estão invisíveis. Quando eles aparecem, a perereca assusta-os dizendo que, depois de crescerem, deixarão de ser amigos. Ao chegarem à nascente para saber se isso é verdade, a mãe d'água mostra como serão quando forem adultos. 
18 "Perfume de vitória" 1 de agosto de 2014
Quinha olha-se no espelho e acha que não é bonita. Ela pergunta à Cotinha o que acha sobre sua beleza, e a piranha sugere que procure por Jaca Zé, que é o mais sincero do igarapé. Junto a Maná e Bitelo, tenta evitar que o jacaré fale a verdade, mas não chegam a tempo. A perereca pede para que Iara transforme-a em outra criatura e os amigos encontram-na como uma vitória-régia, ganhando elogios da turma. Volta a ser uma perereca ao sentir-se triste por não fazer as coisas que fazia antes. 
19 "O amigo dourado" 4 de agosto de 2014
Cotinha encontra o que parece-lhe ser um peixe de verdade, que repete várias vezes que seu nome é Dourado e pergunta se quer ser seu amigo. Maná e Bitelo brincam de imitações e procuram pela piranha para participar. Ao apresentar o novo amigo, fica chateada por ninguém da gostar de seu jeito. Ao pedir ajuda à Iara, sabe que Dourado é um peixe de brinquedo, devolvendo-o para sua dona e faz as pazes com a turma. 
20 "Esconde-esconde" 5 de agosto de 2014
Bitelo mostra para Cotinha, Maná e Ceci uma "bola" que encontrou na beirada da canoa. Ao saber que, na verdade, o que carregava era um ovo, tenta devolver com os amigos ao local onde achou-o, porém com receio de algum outro bicho pegá-lo, escondem-o de Jaca Zé, que conta à turma que perdeu seu irmão ao levá-lo para passear. 
21 "Igarapé aruru" 6 de agosto de 2014
Quinha estranha a falta de Iara na nascente do igarapé e chama Cotinha e Jaca Zé para procurá-la, que por sua vez chamam os outros amigos. Para facilitar a busca, a turma divide-se em duplas, e acaba encontrando pertences da mãe d'água. Ao voltarem à nascente, os amigos choram por Iara ainda não estar presente, até que ela volta ao seu local e conta para todos que foi visitar sua irmã e participar de um encontro de mães d'água, deixando todos aliviados. 
22 "Cobra fantasma" 7 de agosto de 2014
23 "Cabeleira cabeluda" 8 de agosto de 2014
24 "Dança para a chuva" 11 de agosto de 2014
25 "Tesouro de madrepérola" 12 de agosto de 2014
26 "Pela última vez" 13 de agosto de 2014

Referências

Ligações externasEditar