Abrir menu principal

Igreja Presbiteriana do Paquistão

A Igreja Presbiteriana do Paquistão (em urdo پاکستان نولکھا چرچ) é a maior denominações presbiteriana, reformada e a segunda maior denominação protestantes no Paquistão. Tem aproximadamente 400.000 membros em 340 congregações e 330 ministros.[2]

Igreja Presbiteriana do Paquistão
Classificação Protestante
Orientação Calvinista
Política Presbiterianismo
Associações Concílio Mundial das Igrejas; Conferência Cristã da Ásia; Conselho Nacional de Igrejas no Paquistão e a Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas.
Área geográfica Paquistão
Origem 1993 (26 anos)
Ramo de(o/a) Igreja Presbiteriana Unida da América do Norte
Congregações 340
Membros 400.000[1]
Site oficial presbyterianchurchpk.org

Índice

HistóriaEditar

A Igreja Presbiteriana Unida da América do Norte começou o trabalho missionário no Paquistão em 1834 na região de Ludhina. Um ano depois JC Lowrie, o primeiro missionário presbiteriano no país, mudou-se de Ludhiana para Lahore. Em 1849 John Newton e Charles Forman foram para a mesma região trabalhar como missionários. Logo eles estenderam seu trabalho para Rawalpindi. Seus esforços resultaram na fundação do Conselho de Igrejas de Lahore.[3]

Em 1855 a Missão Presbiteriana Unida dos Estados Unidos abriu trabalho em Lahore tendo como missionário Andrew Gordon; dois anos depois, ele estabeleceu uma estação de missão em Sialkot, onde foi acompanhado por outros missionários. Foram abertas escolas e um orfanato pelo grupo missionário. Em 1859 o Presbitério de Sialkot foi formado.[4]

A igreja cresceu, e outros presbitérios foram estabelecidos. Em 1893 o Sínodo do Punjab foi formada como um dos sínodos da Igreja Presbiteriana Unida da América do Norte. O mesmo sínodo tornou-se autônomo em 1961 formando a Igreja Presbiteriana Unida do Paquistão. Em 1968, como resultado do movimento de oposição a Teologia liberal de McIntire, ocorreu uma cisão na igreja. Contudo, nas década seguintes os grupos voltaram a unir-se. As "Convenções de Sialkot", promovidas pela igreja, foram realizadas desde 1904 e são reconhecidas como fundamentais para o fortalecimento e divulgação da fé cristã no Paquistão. Os Salmos usados na Convenção Sialkot Hymnbookwith, além de hinos em Punjabi e Urdu como músicas indianas são amplamente utilizado em todas as igrejas protestantes no país.[5]

A Igreja Presbiteriana Unida fundou o seminário de Gujiranwala, que tornou-se um seminário unido em 1954. Atualmente o seminário serve para a formação de ministros de várias denominações protestante no Paquistão tais como a Igreja do Paquistão e Igreja Presbiteriana Reformada Associada (Paquistão).[6]

Em 1904, muito antes de outras comunidades presbiterianas, o Conselho de Igrejas de Lahore entrou para a Igreja Unida do Norte da Índia. Em contraste a Igreja Presbiteriana Unida, que tornou-se administrativamente independente da igreja norte-americana. Em 18 de novembro de 1993, a Igreja Presbiteriana Unida e o Conselho de Igrejas de Lahore da Igreja do Paquistão se uniram para formar a Igreja Presbiteriana do Paquistão.[7]

A Igreja Presbiteriana do Paquistão hojeEditar

A Igreja Presbiteriana do Paquistão está ativamente engajado na evangelização, educação, cuidados de saúde, alfabetização, agricultura e bem-estar social. A evangelização é feito por pastores, evangelistas e obreiros leigos e inclui o preparo dos membros da igreja, plantação de novas igrejas para o crescimento, e a construção de igrejas e pastorais. O trabalho educativo da Igreja sofreu com a nacionalização das escolas em 1972, mas a igreja estabeleceu novas escolas primárias, médias e altas para os meninos e meninas, e pensões para os alunos.[8][9][10][11]

A igreja mantém dois hospitais e fornece educação e saúde para as pessoas. A denominação começou o trabalho de alfabetização no Paquistão, que agora é realizada por uma ONG, e continua a cooperar com o governo para promover a alfabetização.[12] A Igreja Presbiteriana é também a iniciadora da educação teológica no Paquistão, através de um seminário para candidatos para as classes de ministério e de extensão para leigos.[6] Além disso a igreja possui serviços agrícolas concentrar em ajudar os camponeses com técnicas de produção, conservação de sementes e fertilizantes.[13]

Atualmente a igreja tem cerca de 400.000 membros, sendo a maior denominação presbiteriana do país e segunda maior denominações protestante, atrás apenas da Igreja do Paquistão.[2][14] Os paquistaneses relatam a existência de perseguição religiosa por parte da população do país aos cristãos que formam umas minoria no Paquistão. Como os presbiterianos formam um dos maiores grupos cristãos do país, existem muitos relatos de perseguição religiosa os mesmos na região.[15]


DoutrinaEditar

Relações Inter-eclesiásticasEditar

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar