Abrir menu principal

Igreja de São João de Almedina

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde maio de 2013). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Igreja de São João de Almedina, Coimbra.
Detalhe da torre do sino.

A Igreja de São João de Almedina integra o conjunto do Palácio Episcopal de Coimbra (onde está instalado o Museu Nacional de Machado de Castro), na freguesia da Sé Nova, na cidade e concelho de Coimbra, distrito de mesmo nome, em Portugal.

HistóriaEditar

Um templo no local remonta ao século XI, e já existia possivelmente em 1064, a par da vizinha Igreja de São Salvador mencionada em documento datado desse ano. A referência mais antiga à Igreja de São João de Almedina data de 1083.

Acredita-se que aquele primitivo templo terá sido substituído pela "ecclesia nova" que o conde Sesnando Davides, reconquistador e governador de Coimbra, se propôs custear, conforme disposto em seu testamento, datado de 1087.

Posteriormente, entre 1128 e 1131 teve lugar uma campanha de obras, por iniciativa do então bispo da Diocese de Coimbra, D. Bernardo (1128-1146). Desconhece-se a natureza e extensão dessas obras, podendo admitir-se que date de então o claustro parcialmente conservado e posto a descoberto no século XX, quando o paço episcopal foi adaptado à função de museu. Nessa mesma ocasião, vieram à luz alguns vestígios da igreja românica que se sabe ter sido sagrada entre 1192 e 1206. A sua construção deverá ter-se iniciado apenas quando a nova catedral da cidade já estava aberta ao culto, ou seja, na década de 1170, tendo então a Igreja de São João exercido as funções de Sé.

O templo do período românico foi completamente arrasado quando da reconstrução de finais do século XVII, que lhe conferiu as atuais feições.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.