Abrir menu principal

Iniciativa do Cinturão e Rota

Map of Asia, showing the OBOR initiative
China em vermelho, membros do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura em laranja, os seis corredores em preto e azul.[1]

Iniciativa do Cinturão e Rota (em inglês: Belt and Road Initiative), também conhecida como Um Cinturão, Uma Rota[2] (em inglês: One Belt One Road, em chinês: 一带一路)) ou Cinturão Econômico da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima do Século 21[3] (em chinês: 丝绸之路经济带和21世纪海上丝绸之路), é uma estratégia de desenvolvimento adotada pelo governo chinês envolvendo desenvolvimento de infraestrutura e investimentos em países da Europa, Ásia e África. "Cinturão" refere-se às rotas terrestres ou ao Cinturão Econômico da Rota da Seda; enquanto "Rota" refere-se às rotas marítimas, ou à Rota da Seda Marítima do Século 21.[4] Até 2016, a iniciativa era oficialmente conhecida como a iniciativa Um Cinturão, Uma Rota, mas o nome oficial foi alterado porque o governo chinês considerou a ênfase na palavra "um" propensa a erros de interpretação.[5]

O governo chinês chama a iniciativa de "uma tentativa de melhorar a conectividade regional e abraçar um futuro mais brilhante".[6] Observadores, no entanto, vêem isso como um impulso para o domínio chinês nos assuntos globais com uma rede comercial centrada na China.[7][8]

Referências

  1. China Britain Business Council: One Belt One Road
  2. Faseeh Mangi (10 de abril de 2018). «Iniciativa 'Um Cinturão, Uma Rota' ganha força na Ásia». UOL 
  3. «Iniciativa do Cinturão e Rota é oportunidade histórica para cooperação entre China e Países Lusófonos, diz especialista». XINHUANET.com. 8 de março de 2018 
  4. Ottoni, Luis (17 de Junho de 2017). «China avança em comércio global com nova Rota da Seda, projeto de US$ 1 trilhão». G1. Consultado em 23 de Outubro de 2018. A rota atual, assim como a antiga, divide-se em marítima e terrestre. Em inglês, a iniciativa é conhecida como "One Belt, One Road", em que "Belt", de cinturão, refere-se à rota física e "Road", de estrada, refere-se à rota marítima. 
  5. «BRI Instead of OBOR – China Edits the English Name of its Most Ambitious International Project». liia.lv (em inglês). 28 de julho de 2016. Cópia arquivada em 6 de fevereiro de 2017 
  6. Xinhua News Agency (28 de Março de 2015). «China unveils action plan on Belt and Road Initiative». The State Council of the People's Republic of China 
  7. «What Is One Belt One Road? A Surplus Recycling Mechanism Approach». 7 de julho de 2017. SSRN 2997650 . It has been lauded as a visionary project among key participants such as China and Pakistan, but has received a critical reaction, arguably a poorly thought out one, in nonparticipant countries such as the United States and India (see various discussions in Ferdinand 2016, Kennedy and Parker 2015, Godement and Kratz, 2015, Li 2015, Rolland 2015, Swaine 2015). 
  8. «Getting lost in 'One Belt, One Road'» (em inglês). Hong Kong Economic Journal. 12 de abril de 2016. Simply put, China is trying to buy friendship and political influence by investing massive amounts of money on infrastructure in countries along the 'One Belt, One Road'. 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre a China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.