Abrir menu principal

Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira

Instituto do Câncer de São Paulo
Fachada do Instituto do Câncer
Nome completo Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira
Localização São Paulo,  Brasil
Fundação 6 de maio de 2008
Universidade afiliada Universidade de São Paulo
Leitos 580
Especialidades Câncer
Site www.icesp.org.br
editar

Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira, inaugurado em 6 de maio de 2008, na cidade de São Paulo.[1] na avenida Doutor Arnaldo, número 251, no bairro Cerqueira César, zona oeste do município.[2]

EstruturaEditar

É um dos maiores hospitais especializado em tratamento de câncer da América Latina.  Com 112 metros de altura, foi construído em uma área aproximada de 84.000 m² na Avenida Doutor Arnaldo, próximo à Avenida Paulista. O Instituto é um órgão do Governo do Estado de S. Paulo, em parceria com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo,[3] localizado no complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.[4] Conta com 499 leitos, sendo 85 de UTI, distribuídos entre 23 pavimentos,[5] dentre os 29 do prédio.[6] Por mês, são realizadas mais de 25 mil consultas médicas, 250 mil exames, 7 mil sessões de radioterapia e 4,5 mil sessões de quimioterapia, além de 600 cirurgias oncológicas. No total, são mais de 50 mil atendimentos mensais.

O Icesp conta com o maior parque radioterápico do país. Tem equipamentos de ponta como aceleradores lineares para radioterapia, equipamento de braquiterapia e tomógrafo para simulação de procedimentos.

O Centro de Investigação Translacional em Oncologia (CTO), que é uma espécie de superlaboratório, funciona com vinte grupos atuantes em pesquisa básica e aplicada em oncologia. No Núcleo de Pesquisa são investigados novos medicamentos e formas de tratamento. A pesquisa é feita no ambiente do hospital, o pesquisador trabalha junto com o médico que atende ao paciente.

Além do atendimento médico, os profissionais do Icesp desenvolvem atividades de ensino e pesquisa de acordo com o modelo de ensino médico introduzido pela Faculdade de Medicina da USP no país. O objetivo é transformar o Instituto em um centro de pesquisa de referência em nível internacional na área do câncer, inclusive no estudo de novos fármacos e tratamentos inovadores para a doença.

CustosEditar

Foram investidos na construção e compra de equipamentos, cerca de 270 milhões de reais, sendo o custo anual estimado em 190 milhões.[3]

Referências

Ver tambémEditar