Insumo em Economia designa um bem ou serviço utilizado na produção de um outro bem ou serviço. Inclui cada um dos elementos (matérias-primas, bens intermediários, uso de equipamentos, capital, horas de trabalho etc.) necessários para produzir mercadorias ou serviços.

No seu conceito mais amplo insumo é a combinação de fatores de produção, diretos (matérias-primas) e indiretos (mão-de-obra, energia, tributos), que entram na elaboração de certa quantidade de bens ou serviços.

Uma definição simplificada de insumo seria: tudo aquilo que entra no processo ('input'), em contraposição ao produto ('output'), que é o que sai. O insumo se concretiza através da produção de instrumentos necessários a outras indústrias, ou seja, são chamadas de indústria de maquinas-ferramentas ou de equipamentos. Tem grande relevância no setor secundário já que tem a finalidade de equipar outras indústrias.

Como certos insumos são objetos de tributação pelo Governo, criou-se uma discussão jurídica infindável para tentar definir o que seja realmente um insumo, a fim de saber se determinada coisa é ou não tributável.[1]

Segundo o Professor Silveira Bueno, catedrático de filosofia da Universidade de São Paulo : os insumos entram na composição de bens maiores, de mercadorias, que seriam consumidas pelo povo.[1]

Referências

  Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.