Intercâmbio educacional

Intercâmbio educacionalestudantil ou cultural são expressões que designam a troca mútua de estudantes de um determinado local com outro, geralmente fora do país de origem, para aprender a língua nativa, cultura e hábitos praticados de outra nação com fins educacionais, profissionais ou pessoais. Inicialmente, a palavra intercâmbio designava unicamente programas que envolviam a viagem de um estudante do país A ao país B e do país B ao país A, sempre reciprocamente. De praxe, o estudante do país A era acolhidos pela família do estudante do país B e vice-versa. A instituição pioneira nos programas de intercâmbio foi o Rotary International.

A partir dos anos 1980, os programas se diversificaram e atualmente o termo designa, impropriamente, qualquer período de estudo de uma pessoa em país estrangeiro para seu aperfeiçoamento educacional ou profissional. A Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio, Belta[1], vem desempenhando importante papel desde 1992, ano de fundação, na internacionalização dos Brasileiros atuando frente a governos dos destinos, promovendo programas e instituições de ensino de qualidade, além de profissionalizar a prestação de serviço das agências que recebem o Selo Belta após serem aceitas na organização. Hoje em dia o estudante pode escolher quanto tempo deseja ficar no lugar escolhido, não sendo mais obrigatório o sistema de troca, o tempo de permanência no destino dependerá do seu visto e será de acordo com o curso escolhido, o estudante pode estudar uma nova língua como o inglês, fazer high school (ensino médio), universidade, programa de férias e cursos para se especializar em sua área de trabalho futura escolhida.

[2]agências que trabalham com adolescentes em programas high school e permitem pessoas a partir de treze anos, já outras somente aceitam aqueles a partir dos 18 anos. Pessoas mais velhas também podem fazer seu intercâmbio, hoje em dia cada vez mais as pessoas mais velhas procuram viajar para aperfeiçoar seu idioma.

  • Intercâmbio cultural
  • Intercâmbio profissional
  • Intercâmbio universitário

Duração do intercâmbioEditar

O intercâmbio educacional pode durar semanas, meses ou até anos. O período de vivência no exterior depende dos objetivos do estudante e suas condições. As opções mais comuns variam entre 2 semanas e 1 ano e um dos principais objetivos é aprender um idioma estrangeiro[3].

  • Intercâmbio de 15 dias / 2 semanas: para profissionais que querem melhorar suas habilidades em um idioma ou estudantes que desejam aproveitar o tempo livre para se divertir e aperfeiçoar seus conhecimentos
  • Intercâmbio de 30 dias / 4 semanas / 1 mês: indicado para quem também quer utilizar as férias para melhorar habilidades em um idioma e, ao mesmo tempo, conhecer novas culturas e interagir com a população local
  • Intercâmbio de 2 meses: para quem dispõe de um período de tempo um pouco maior de um mês e quer aprender um idioma enquanto experimenta outra cultura
  • Intercâmbio de 3 meses: para jovens, estudantes e profissionais que ainda contam com um tempo relativamente limitado, mas desejam se inserir em uma cultura diferente e aprender ou aperfeiçoar um idioma
  • Intercâmbio de 6 meses: indicado para a maioria das pessoas - do estágio mais básico ao mais avançado de proficiência em um idioma. Em 6 meses, é possível obter uma grande bagagem cultural e aprender um idioma
  • Intercâmbio de 1 ano ou mais: um ano é tempo suficiente para ganhar fluência em um idioma. Indicado a todos que dispõem de um tempo maior para se inserir completamente no estilo de vida de um país estrangeiro

Antes do intercâmbioEditar

QUAL É O MELHOR MOMENTO PARA VIAJAR?Editar

É recomendável iniciar o processo com no mínimo 6 meses de antecedência para garantir uma vaga em uma escola no exterior. Diversas organizações brasileiras oferecem programas diferentes nas mais variadas partes do mundo. Os embarques normalmente ocorrem entre agosto e setembro ou entre fevereiro e abril, dependendo do semestre em que o aluno pretende estudar fora.

HOSPEDAGEMEditar

Normalmente os estudantes ficam em casa de famílias voluntárias previamente selecionadas pela organização responsável pelo intercâmbio. Por isso, o jovem que fará o intercâmbio deve preencher com meses de antecedência diversos documentos onde conta sobre si, sua família, seus hábitos e outras informações para serem encaminhadas à família que irá hospedá-lo.

BOLSAS DE ESTUDOEditar

Vários programas de diversas organizações oferecem bolsas de estudos para a realização de intercâmbio durante o Ensino Médio, como as fundações UWC Brasil, Rotary e Estudar. Além destes, outros programas como o AFS e o Jovens Embaixadores levam anualmente diversos jovens brasileiros para estudar fora com bolsa integral.

Depois do intercâmbioEditar

VALIDAÇÃO DOS ESTUDOSEditar

De forma geral, existe sim a possibilidade de aproveitamento dos estudos, mas é interessante conversar com a escola brasileira antes de programar a viagem. O estudante precisará solicitar à escola estrangeira, antes do fim do ano letivo, um histórico com as matérias cursadas e as notas. O documento deve ter o selo seco da escola e a assinatura do diretor. É importante solicitar essas informações com antecedência porque, sem esse documento, não é possível validar no Brasil os estudos feitos no exterior. Com a documentação em mãos, é necessária a validação pelo Consulado Brasileiro na região. Sem dúvida a tradução do histórico escolar também será necessária para uso do mesmo no Brasil. Todo o processo deve ser feito no exterior! Os documentos sem a validação do consulado brasileiro no exterior não terão validade.

ReferênciasEditar

Ligações externasEditar