Abrir menu principal

Jasão e os Argonautas

filme de 1963 dirigido por Don Chaffey
(Redirecionado de Jason and the Argonauts)
Disambig grey.svg Nota: ""Os Argonautas"" redireciona para este artigo. Para o épico italiano, veja I giganti della Tessaglia (Gli Argonauti).
Jason and the Argonauts
Cartaz para divulgação do filme na Itália
No Brasil Jasão e os Argonautas
Jasão e o Veio de Ouro
Jasão e o Velo de Ouro
Em Portugal Os Argonautas
Jasão e os Argonautas
 Reino Unido
 Estados Unidos

1963 •  cor •  104 min 
Direção Don Chaffey
Elenco Todd Armstrong
Nancy Kovack
Niall MacGinnis
Honor Blackman
Género filme de fantasia
filme de aventura
Idioma língua inglesa

Jason and the Argonauts (prt: Os Argonautas[1] ou Jasão e os Argonautas[2]; bra: Jasão e os Argonautas[3] ou Jasão e o Veio de Ouro[4] ou Jasão e o Velo de Ouro[5]) é um filme britano-estadunidense de 1963, dos gêneros fantasia e aventura, dirigido por Don Chaffey, com roteiro baseado no mito de Jasão e o Velo de Ouro, da Mitologia grega, de 1963. A direção teve a colaboração de Ray Harryhausen para as animações em stop-motion. A trilha sonora é de Bernard Herrmann.

SinopseEditar

Pélias usurpa o trono da Tessália matando o rei Esão. Uma profecia, no entanto, dizia para que Pélias tivesse cuidado com um dos filhos de Esão, que apareceria usando uma sandália só e o destronaria. Para evitar a profecia, Pélias mata uma das filhas de Esão, não antes dela pedir a intercessão da deusa Hera, esposa de Zeus. A partir dai, Pélias faz de Hera sua maior inimiga.

Anos depois, Jasão, filho de Esão, salva a vida de Pélias em um encontro casual e perde a sandália na ação. Jasão não reconhece o assassino de seu pai mas este, sim. No entanto, Pélias está impedido de matar Jasão, já que a profecia diz que, se fizer isso, ele mesmo morrerá. Conversando com Jasão, descobre que este está pensando em partir numa jornada perigosa em busca do Velo de Ouro, na verdade a pele de um carneiro divino ao qual se atribuia poderes mágicos de cura. Pélias o encoraja. Jasão percorre então toda a Grécia, reunindo heróis que o acompanhem na aventura, entre eles o semideus Hércules e Acasto, filho de Pélias, mandado pelo pai para sabotar a viagem. Encomenda ainda ao construtor Argos um navio para transportar a ele e aos companheiros em sua jornada. Jasão dá ao barco o nome de Argo, em homenagem ao construtor; seus tripulantes passam então a ser conhecidos como "os argonautas".

Um pouco antes do embarque, Jasão é levado ao Monte Olimpo por Hermes para conversar com Zeus e Hera. Esta promete ajudar Jasão mas Zeus restringe essa ajuda (Jasão, como todos os mortais, é reconhecidamente uma peça no jogo que os deuses jogam entre si. Este é um retrato acurado da teologia grega, raramente encontrada atualmente). Assim, Jasão fica restrito a invocar o auxílio da deusa apenas cinco vezes e fica sabendo por ela que o Velo de Ouro realmente existe e que se encontra na Cólquida, reino estabelecido do outro lado do mundo.

Os argonautas enfrentam muitos perigos durante a viagem. Calmarias fazem Jasão pedir a ajuda de Hera pela primeira vez; ela os guia para a ilha de Bronze, antiga oficina do deus Hefesto, onde os argonautas se confrontam com a gigantesca estátua de bronze de Talos. Procuram a seguir pelo adivinho cego Fineu para que ele lhes indique o caminho correto para a Cólquida e livram-no do ataque diário de duas Harpias, que roubam-lhe as refeições por ordem de Zeus, para puni-lo pelo mau uso de seu poder. Fineu então lhes indica o caminho, passando pelas Simplégadas (o estreito do Bósforo), onde o desmoronamento de rochas ameaça matá-los. Fineu ainda lhes dá um amuleto, que, ao ser jogado ao mar, invoca um Tritão que, segurando os lados do estreito, auxilia-os na passagem.

Depois de todas essas peripécias, os argonautas chegam à Cólquida e, com a ajuda da princesa Medeia, conseguem, por fim, matar o dragão que vigia o Velo, apoderar-se dele e fugir da fúria de Eetes, rei da Cólquida, que faz brotar dos dentes semeados do dragão morto um exército de esqueletos que ataca os heróis.

ElencoEditar

Referências

  1. Os Argonautas (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. Jasão e os Argonautas no SapoMag (Portugal)
  3. Jasão e os Argonautas no CinePlayers (Brasil)
  4. EWALD FILHO, Rubens (1975). Os filmes de hoje na TV. São Paulo (Brasil): Global Editora. p. 107 
  5. Ely Azeredo (27 de janeiro de 1964). «Vitrine da semana: outras estreias». 2.º caderno. Tribuna da Imprensa. Rio de Janeiro. p. 4. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.