Joaquim Lopes Poupino

Joaquim Lopes Poupino (Elvas, ? - Cuiabá, 21 de junho de 1796) foi um militar e comerciante luso-brasileiro, que foi Intendente das Obras da construção do Real Forte Príncipe da Beira, e avô do futuro presidente da Província de Mato Grosso durante o período regencial, João Poupino Caldas.[1]

BiografiaEditar

Joaquim Poupino teve importante papel na história da Capitania de Mato Grosso, para onde se mudou ainda jovem. Ocupou as funções de almotacé e a vereança no Senado da Câmara da cidade. Foi ajudante do Terço das Ordenanças, e ocupava o posto de Capitão, quando de sua morte.[1]

Atuou nas guerras das fronteiras, na condução do ouro da província, e na revolta dos escravos negros de Iacé (ou Jacé).[1]

Desposou a cuiabana Maria Bernarda do Rosário, com quem teve os seguintes filhos: José Lopes, Izabel Antonia, Catharina Maria Jorte (ou D'orta), Maria Bernarda e Ana de Alvim Poupino.

Além da carreira militar exerceu o comércio, graças ao qual amealhou razoável patrimônio na capital da então Capitania.[1]

Referências

  1. a b c d José Barnabé de Mesquita (1944). «João Poupino Caldas (Contribuição para o estudo da "Rusga")» (PDF). Separata da Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso. Consultado em 5 de novembro de 2010 


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.