Joaquim Sarmento

político português
Joaquim Sebastião Sarmento da Fonseca Almeida
Deputado da Assembleia da República, Escritor, Ensaísta, Cronista Portugal Portugal
Dados pessoais
Nascimento 17 de janeiro de 1952 (68 anos)
Penajóia, Portugal

Joaquim Sebastião Sarmento da Fonseca Almeida (Penajóia, 17 de Janeiro de 1952) é um político, escritor, ensaísta e cronista português.

BiografiaEditar

InfânciaEditar

Joaquim Sarmento viveu a sua infância em Penajóia no concelho de Lamego. Aos dez anos frequentou um seminário na Régua e mais tarde em Braga frequentou o Colégio Dom Diogo de Sousa e terminou o Ensino Secundário em Lamego, para onde voltou mais tarde.

Percurso profissionalEditar

Em 1970 Joaquim Sarmento ingressou na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e foi viver para Oeiras. Em plena época de grandes conturbações políticas, assistiu e participou em várias manifestações de estudantes e aderiu ao Partido Comunista, partido com o qual cindiu anos mais tarde.

Exerceu como advogado na cidade de Lamego e em 1986 aderiu ao Partido Socialista, que o levou a exercer cargos como deputado da Assembleia da República.

Da sua actividade profissional, Joaquim Sarmento exerceu como advogado na cidade de Lamego a partir de 1986, ano em que aderiu ao Partido Socialista, partido com o qual teve uma profunda articulação tanto como militante, como dirigente, incluindo o cargo de deputado da Assembleia da República.

Foi por isso, uma figura de destaque do partido e isso tornou-o numa pessoa respeitada e reconhecida na região do Douro e na cidade de Lamego.

Percurso literárioEditar

Ao longo da sua evolução como estudante e da construção dos seus ideais políticos, Joaquim Sarmento foi desenvolvendo um grande entusiasmo pela escrita e pela arte em geral. Jean Paul Sartre é uma das suas maiores influências, assim como Thomas Mann e principalmente Marcel Proust, considerando a obra Em Busca do Tempo Perdido o grande impulsionador que despertou o interesse especial pelo escritor francês.

Virgílio Ferreira foi outra das suas grandes inspirações, tendo desenvolvido uma grande admiração pela escritor.

A sua área de escrita engloba crónicas, texto dramático e escrita romanesca.

PublicaçõesEditar

  • Fragmentos, Retalhos de Silêncios
  • Fragmentos e Paixões
  • A memória e o tempo e as Folhas de Limoeiro
  • O Crime de Cerejeiro, 2008
  • A Revolução de António e Oriana, 2009

ReferênciasEditar

  • Perfil de Joaquim Sarmento na edição do dia 18 de Dezembro do Jornal do Douro, página 9: Joaquim Sarmento, um escritor duriense.

Ligações externasEditar