Jogo da Vida (programa de auditório)

Jogo da Vida foi um programa de televisão brasileiro apresentado por Márcia Goldschmidt aos domingos e depois de segunda à sexta pela Rede Bandeirantes. Estreou em 12 de outubro de 2003 e era um programa sobre relacionamentos e de auditório.[1]

Jogo da Vida
Informação geral
Formato programa de auditório
Duração 180 minutos (2003)
120 minutos (2004)
60 minutos (2005)
Estado Encerrado
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Roberto Manzoni (2004)
Produtor(es) Raimundo Lima
Apresentador(es) Márcia Goldschmidt
Exibição
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 12 de outubro de 20039 de dezembro de 2005
Temporadas 3
Episódios Vários

HistóriaEditar

Foi exibido entre 2003 e 2005. O programa mostrava histórias de amor, jogos de conquista e entrevistas. Chegou a ser dirigido por Roberto Manzoni em 2004, que tentou transformar em um programa de auditório comum porém no mesmo ano o diretor foi dispensado e voltando assim a sua antiga fórmula.

Mudança de dia e extinçãoEditar

O programa ganhou uma versão diária em 15 de agosto de 2005 às 17h15. "O Jogo da Vida é uma atração vencedora, que alcança ótimos resultados no domingo. Além disso, pesquisas da emissora mostram que há uma demanda do público, em especial o feminino, que quer ver a Márcia todos os dias", disse Juca Silveira, diretor artístico e de programação da Band. O Jogo da Vida diário recebeu tratamento especial e ao lado da direção da Band, Márcia cuidou de cada detalhe. O programa entrou no ar com nova cenografia e adaptado ao formato diário, mais enxuto. Tendo o rosa como cor predominante, o cenário em forma de semi-arena deu um toque mais intimista e facilita a participação da platéia de 150 pessoas. Com uma hora de duração o programa exibiu atrações inéditas em quadros que conquistaram grande sucesso de audiência como o "Espelho, Espelho Meu".[2] O programa estreou elevando a audiência do horário em um ponto (3 pontos com picos de 5,5 no Ibope).[3] porém em 5 de dezembro, saiu do ar definitivamente e nunca mais voltou à programação da emissora.

ControvérsiasEditar

InvasãoEditar

No dia 17 de outubro de 2004, o vendedor de carros Moacir Camargo Borges invadiu o estúdio do programa armado com um revólver calibre 38.[4] O homem entrou na sede da emissora após render um vigilante e invadiu o programa por volta das 17h40min, quando a apresentadora Márcia Goldschmit entrevistava o cantor Waguinho. Moacir havia procurado a ajuda do programa cerca de um mês antes, pedindo ajuda para reencontrar os filhos e se reconciliar com a mulher, mas havia sido informado pela produção de que o programa não poderia lhe ajudar, uma vez que a ex-mulher não queria nenhum tipo de contato com ele.

O rapaz invadiu o estúdio completamente nervoso, repetindo que ele estava desesperado para se reconciliar com a esposa e rever as duas filhas. O sujeito ameaçava atirar com o revólver caso o programa saísse do ar; ele foi interrompido, mas ele foi sendo mostrado no monitor, para que fosse enganado, mas houve um lapso e ele percebeu. A plateia, que reunia cerca de 200 pessoas, ficou em estado de pânico e foi retirada do estúdio. Márcia tentou manter a calma e conversar com Moacir. Temendo que o homem pudesse atentar contra a vida de alguém no palco, a Band decidiu permanecer com o programa no ar por cerca de seis minutos. Pouco depois, Moacir foi desarmado por um policial à paisana que estava assistindo ao programa na plateia e conseguiu imobilizar e render o invasor, que foi levado para fora do estúdio. Após os comerciais, o programa voltou ao ar com o jornalista Guilherme Bentana relatando aos telespectadores que, em virtude do incidente, a apresentadora não tinha mais condições de retomar o programa, pois estava abalada. O programa foi encerrado com uma hora e meia de antecedência. No lugar, a emissora exibiu o programa Vídeos Mais Incríveis.

Borges foi levado ao 34º DP (Vila Sônia).Ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma e indiciado por violação de domicílio, perturbação do serviço de telecomunicação e perigo de vida ou saúde. Em 2005, Moacir foi condenado a dois anos de prisão em regime aberto e multa de um salário mínimo. A pena foi transformada em prestação de serviços comunitários.

Referências

  1. «Márcia Goldschmidt entra na disputa com Gugu e Faustão». Folha de S.Paulo. 12 de outubro de 2003. Consultado em 9 de junho de 2015 
  2. https://www.areavip.com.br/noticias/marcia-goldschmidt-estreia-jogo-da-vida-diario-na-band/
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 22 de novembro de 2005. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2005 
  4. Daniel Castro (19 de outubro de 2004). «'Não brincaríamos com algo tão violento'». Folha de S.Paulo. Consultado em 2 de janeiro de 2022