Abrir menu principal
Kinross Gold
Gênero Mineradora
Fundação 1993 (25–26 anos)
Fundador(es) Robert Buchan
Sede Toronto, Canadá
Pessoas-chave J. Paul Rollinson (CEO)
Empregados ~ 9.000 (2013)
Produtos Ouro
Faturamento U$3.8 bilhões (2013)
Website oficial www.kinross.com/
www.kinross.com.br/

A Kinross Gold é uma mineradora multinacional fundada em 1993 em Toronto, no Canadá, constituindo-se posteriormente numa das 10 maiores mineradoras do mundo, destacada na exploração de ouro em diversas partes do mundo.

Atuação no BrasilEditar

 Ver artigo principal: Mina de Paracatu

No Brasil, a Kinross Gold atua desde o ano de 2005 na cidade de Paracatu, no estado de Minas Gerais.[1] Desde a atuação da empresa no referido município, inúmeras denúncias foram realizadas[2] acerca dos altos índices de câncer na região, fruto da contaminação em massa provocada pelo arsênio; substância liberada no processo de retirada do ouro.[1] Em pronunciamento exibido no quadro Proteste Já, do programa televisivo CQC[desambiguação necessária], o diretor do Hospital do Câncer de Barretos afirmou que apenas no ano de 2014 o hospital atendeu mais de 1.000 pacientes vindos da cidade de Paracatu, cuja população é de apenas 90 mil habitantes e está localizada a mais de 500 km de distância da cidade de Barretos; na mesma reportagem seguranças da empresa tentaram atropelar o cinegrafista da emissora.[3] Márcio José dos Santos, geólogo e mestre em Planejamento e Gestão Ambiental, explica que diferentemente do que ocorria na época dos garimpos, a chegada das mineradoras trouxe um processo de extração chamado cianetação, que consiste na destruição da rocha através de explosivos e agentes químicos, que liberam arsênio em diferentes estados de valência. Para se retirar 1g de ouro, por exemplo, seriam liberados até 7 kg de arsênio nessas condições, e o mais letal deles seria o trióxido de arsênio, um dos componentes liberados quando se ataca a arsenopirita.[1]

Referências