Kiricocho

Kiricocho ou Quiricocho é uma palavra que faz parte do vocabulário futebolístico da Argentina que é utilizada como uma espécie de superstição para atrair azar ao adversário[1].

Reza a lenda que Kiricocho era como era conhecido um torcedor ‘azarado’ do Estudiantes de La Plata. Sempre que ele estava na arquibancada, o seu time acabava superado. A má fama cresceu tanto, que o técnico do clube, Carlos Bilardo passou a levar Kiricocho junto à delegação, para que ele cumprimentasse os adversários antes das partidas[2]. Coincidentemente ou não, fato é que o Estudiantes acabou campeão argentino em 1982, perdendo apenas um jogo, justamente aquele em que Kiricocho não consgeuiu cumprimentar os adversários[3].

Não se sabe ao certo se Kiricocho realmente existiu, ou se é apenas uma lenda que faz parte do folclore futebolístico argentino[1]. Mas a lenda se espalhou, e passou a ser utilizada por torcedores do mundo todo como uma superstição para atrair azar ao oponente quando seu nome é entoado[4], como, por exemplo, em cobranças de pênaltis.

Referências

  1. a b ludopedio.com.br/ GOMES, Jaqueilton. “Quiricocho”: a misteriosa ‘maldição’ que cruzou o Atlântico e ecoou na Champions League. Ludopédio, São Paulo, v. 141, n. 29, 2021.
  2. desporto.sapo.pt/ A supertição de Bilardo chegou à Europa e a pandemia tornou-a mais audível
  3. radiocomercial.iol.pt/ A incrível história de Kiricocho (a maldição que não é ofensa)!
  4. goal.com/ ¿Qué significa 'Kiricocho' y por qué gritan esa palabra los jugadores de fútbol? (em castelhano)