Kiyohiko Azuma

mangaka japonês

Kiyohiko Azuma (あずまきよひこ Azuma Kiyohiko?) nascido em 27 de maio de 1968 em Takasago, Hyōgo, é um autor e ilustrador de mangá japonês. Entre 1999 a 2002, ele lançou a série de mangá de quatro-painéis Azumanga Daioh (あずまんが大王), sobre um grupo de meninas do ensino médio, que foi adaptado para uma série de anime de muito sucesso. Em 2003, ele começou a série de mangá de trecho-de-vida chamada Yotsuba&! (よつばと!), sobre as aventuras cotidianas de uma garotinha de cinco anos de idade; que é serializada na revista mensal Dengeki Daioh. Antes de Azumanga, ele trabalhou em um mangá hentai chamado Inma no Ranbu, sob o pseudônimo de Jōji Jonokuchi (序ノ口譲二?).[1]

Kiyohiko Azuma
nothumb
Nome completo Azuma Kiyohiko
あずまきよひこ
Nascimento 27 de abril de 1968 (52 anos)
Local Takasago, Hyogo, Japão
Nacionalidade Japão japonês
Área(s) de atuação Mangaka, character designer
Pseudônimo(s) Jōji Jonokuchi (序ノ口譲二?)
Trabalhos de destaque Azumanga Daioh, Yotsuba&!
Prêmios Grand Prize no 20º Prêmio Cultural Osamu Tezuka; Excellence Award for Manga

EstiloEditar

O estilo de desenho de Azuma é único por se desconectar do shōjo e shōnen dos anos 1990. Seu trabalho autoral se desvia das tradições comuns dos mangás, se afastando da fantasia e ficção científica e ambientando suas estorias no mundo real, mostrando trechos do dia a dia dos personagens.

Azumanga DaiohEditar

No livro Manga: The Complete Guide, Jason Thompson descreve Azumanga Daioh como "uma comédia encantadora" e "uma calma maestria do formato de quatro quadros", elogiando o tempo cômico de Azuma e o uso de piadas recorrentes. Ele disse que um dos melhores pontos da série é sua "escrita focada nos personagens".[2] Marc Hairston descreveu Azumanga Daioh como sendo "ligeiramente desarticulado", com humor "freqüentemente oblíquo" e "culturalmente tendencioso" e diz que é tanto "mais leve" quanto "mais irônico" que Maria-sama ga Miteru, descrevendo os personagens de Azumanga como "indivíduos com personalidades um tanto quanto não convencionais".[3] Mark Thomas, do Mania.com, diz que cada personagem têm um "traço de personalidade marcante que é alavancado a níveis absurdos" e que cada um se contrasta com os de outros personagens (foil), que acabam por destacar esses traços não os deixando se tornarem repetitivos, chatos ou não críveis. Thomas disse também que o formato yonkoma não é próprio para "enredos com arcos complexos", e a estória é apresentada como "passagens rápidas de momentos aleatórios de suas rotinas diárias", ressaltando que a narrativa é focada totalmente nas personagens.[4]

Andrew Shelton do Anime Meta explica que "As personagens das garotas são extremamente bem apresentadas. A observação ímpar e a habilidade de capturar expressões torna o anime incrivelmente divertido de assistir além de cumprir com os requerimentos necessários para a estória. A ação e a comédia rica também são representadas maravilhosamente. Há tanto significado, e charme, mesmo na menor das expressões."[5] Patrick King, do Anime Fringe, considerou-o um dos "mangás mais engraçados, mais adoráveis que eu já li".[6] A IGN ressaltou a ausência de arte de fundo, mas diz que as expressões faciais dos personagens tampa esse detalhe.[7]

Yotsuba&!Editar

Yotsuba&! é desenhado não nas tiras verticais de quatro paineis de Azumanga Daioh, mas em um formato de página inteira, o que lhe permite uma maior liberdade e alcance artístico. [8][9] O trabalho de Azuma em Yotsuba&! foi reconhecido por sua arte limpa.[10][11]fundos detalhados,[12][13] e rostos expressivos.[14][15] Azuma também é elogiado por seu tom alegre,[16] estórias de trecho de vida, escrita cômica,[17] e personagens excêntricos porém realistas, com destaque para Yotsuba (Yotsuba&!) e Osaka (Azumanga Daioh).[18][19]

Um crítico no Anime News Network comparou a capacidade de Azuma em capturar "a maravilha da infância" em Yotsuba&! à obra Calvin e Hobbes de Bill Watterson. Nicholas Penedo da Animeland disse: "com Yotsuba, nos encontramos mergulhados no maravilhoso mundo da infância", chamando a edição francesa do volume oito "Um belo mangá para crianças e adultos."[20] BD Gest elogiou a habilidade de Azuma em criar personagens secundários distintos, chamando-os de "imediatamente reconhecíveis", e dizendo que eles apimentam a estória com seus próprias trejeitos.[21] Entretanto, Azuma, tem sido criticado por criar personagens que são "muito limpos, muito perfeitamente funcionais", pelo uso excessivo de "expressões e reações ultrajantes," e por arrastar piadas por muito tempo.[22]

Prêmios e reconhecimentosEditar

No Japão, o mangá de Azumanga Daioh foi nomeado um trabalho recomendado pelo júri no sexto Japan Media Arts Festival em 2002.[23][24] Quatro das colegiais principais foram incluidas no top 100 de heroínas de anime em 2002 da revista Newtype: Ayumu Kasuga/Osaka foi premiada com o 7º lugar, Chiyo Mihama - Chiyo-chan, o 11º, Sakaki - 21º, e Koyomi Mizuhara - 78º. Juntas fizeram com que Azumanga Daioh fosse a segunda série mais popular contendo personagens femininas em 2002. Algumas cenas envolvendo falas desconexas em Engrish entre Osaka e o Pai de Chiyo foram berço para vários memes de internet.[25] A tradução para o inglês foi listada como uma das 20 melhores histórias em quadrinhos de 2005 pela Publishers Weekly,[26] uma das melhores histórias em quadrinhos de 2006 pela equipe do The Comics Jornal,[27] e uma das melhores graphic novels para adolescentes em 2008, pela YALSA.[28]

Yotsuba&!, por sua vez, recebeu um Excellence Award for Manga (Prémio de Excelência em Mangá) em 2006 no Japan Media Arts Festival, onde a citação do júri elogiou os personagens vívidos e a atmosfera suave.[29] Em 2008 Yotsuba&! foi nomeado para o 12º Prémio Cultural Osamu Tezuka[30] e para o Eisner Award na categoria de "Melhor Publicação para Crianças",[31] mas não ganhou, e foi vice-campeão no primeiro prêmio anual Manga Taisho.[32]

Houve uma exposição de arte de Yotsuba&! na Galery of Fantastic Art, em Tóquio, entre 2 a 17 de dezembro de 2006.[33]

Ele foi agraciado com o grande prêmio na 20º entrega do Prêmio Cultural Osamu Tezuka, a maior honraria dos quadrinhos japoneses, por Yotsuba&!, prêmio este compartilhado com seu colega de profissão Kei Ichinoseki pela obra Hanagami Sharaku.[34]

TrabalhosEditar

Título Ano Notas Referências
Inma no Ranbu 1997 Como Joji Jonokuchi [35]
Wallaby (わらびー Warabi?) 1998-2000 Serializado na Game-jin
Try! Try! Try! 1998 Um-tiro-só de Yotsuba&! e webcomics relacionados [36]
Azumanga Daioh 1999-2002 Serializado na Dengeki Daioh

Publicado pela MediaWorks em 4 volumes

Magical Play 2001-02 Design dos personagens para um ONA da série, publicada pela Dengeki Comics
Yotsuba&! 2003–presente Serialização em andamento na Dengeki Daioh.

Publicado pela ASCII Media Works em 13 volumes

ReferênciasEditar

  1. ="«○ず○んがとは違うのだよ!あ○まん○とは!序ノ口譲二入荷しました!» [It's not *zu*nga! Not A*man**! We received some Joji Jonokuchi.] (em japones) 
  2. Thompson, Jason (9 de outubro de 2007). Manga: The Complete Guide. New York, New York: Del Rey Books. p. 18. ISBN 978-0-345-48590-8. OCLC 85833345 
  3. Hairsto, Marc (2006). «The Yin and Yang of Schoolgirl Experiences: Maria-sama ga miteru and Azumanga Daioh». Mechademia: an Annual Forum for Anime, Manga, and the Fan Arts. 1. pp. 177–180. Consultado em 6 de abril de 2008. Cópia arquivada em 15 de abril de 2008 
  4. Thomas, Mark (13 de fevereiro de 2008). «Azumanga Daioh Omnibus Vol. #01». Mania.com. Demand Media. Consultado em 30 de maio de 2009. Arquivado do original em 22 de maio de 2009 
  5. «Azumanga Daioh». Anime Meta-Review. Consultado em 16 de dezembro de 2006. Arquivado do original em 20 de agosto de 2006 
  6. King, Patrick (Outubro de 2003). «Animefringe Reviews: Azumanga Daioh Vol. 1». Animefringe. Consultado em 31 de maio de 2009 
  7. «Azumanga Daioh Vol. 1 - 4 Review». IGN. Ziff Davis. 28 de setembro de 2005. Consultado em 14 de fevereiro de 2016 
  8. Carlo Santos (27 de novembro de 2007). «RIGHT TURN ONLY!! – Society for the Study of Really Awesome Endings». Anime News Network. Consultado em 27 de novembro de 2007. Such is the way of Kiyohiko Azuma's slice-of-life storytelling, which was mastered within the four-panel pillars of Azumanga Daioh but perfected only in the full-chapter format that Yotsuba&! brings. 
  9. Carl Kimlinger (9 de fevereiro de 2008). «Review: Yotsuba&! GN 5». Anime News Network. Consultado em 10 de fevereiro de 2008. What is really special about Yotsuba, though, is that newness with which she, as a child, sees the world. That the manga allows us to glimpse the world through those same eager eyes is what gives it appeal far beyond its humor. And it's in this that Azuma's decision to move past the four-panel format really pays dividends. 
  10. Jessica Chobot (2 de agosto de 2005). «Yotsuba&! Vol. 1 Review». IGN Comics. Consultado em 7 de agosto de 2007. Incredibly strong drawings with excellent composition, detailing without being over-drawn and solid inking enhances the whole package. 
  11. Deb Aoki. «Yotsuba&! Volume 4 by Kiyohiko Azuma – Yotsuba Manga Review». About.com. Consultado em 13 de junho de 2008. Crisp, un-fussy artwork, with delightful character expressions... The humor flows effortlessly with flawless timing. 
  12. Greg McElhatton (21 de junho de 2007). «Yotsuba&! Vol. 4». Read About Comics. Consultado em 1 de agosto de 2007 
  13. Carlson, Johanna Draper (28 de julho de 2008). «*Yotsuba&! — Recommended Series». Comics Worth Reading. Consultado em 19 de janeiro de 2009. He beautifully draws everyday life and items, providing a grounding background. The detailed settings, such as the town streets, nicely contrast with the simpler character faces. And his sense of motion makes action sequences feel like a cartoon, they move so smoothly. 
  14. Dan Grendell (29 de dezembro de 2005). «Big Eyes for the Cape Guy presents YOTSUBA&!». Ain't It Cool News. Consultado em 31 de julho de 2007. Azuma's facial expressions bring YOTSUBA&! to life, making every page feel rich with personality, almost radiating emotion. The faces play a key role in the art, dominating each panel but not overpowering it. 
  15. Johnston, Chris (junho de 2005). «Yotsuba&! Volume 1: Every Little Thing She Does Is Magic». Newtype USA. 4 (6). 162 páginas. Its light-hearted fluffy slice-of-life episodes are accentuated by Azuma's cutely expressive artwork, which gives the book a near-weightless quality. 
  16. Mike Dungan (31 de março de 2005). «Yotsuba&! Vol. No. 01». Anime on DVD. Consultado em 1 de julho de 2009. Yotsuba is like a blank slate of joyous fun, learning about everything and loving every minute of it ... Yotsuba&! manages the clever balancing act of being both manic and gentle fun at the same time. 
  17. Tom Spurgeon (31 de maio de 2007). «Yotsuba&! Vol. 4». The Comics Reporter. Consultado em 8 de agosto de 2007 
  18. Greg McElhatton (24 de março de 2005). «Yotsuba&! Vol. 1». Read About Comics. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  19. Carlson, Johanna Draper (28 de julho de 2008). «*Yotsuba&! — Recommended Series». Comics Worth Reading. Consultado em 19 de janeiro de 2009. Almost everything is a new experience for her, and her enthusiasm provides the appeal of the stories. Her wide-eyed innocence and seemingly inexhaustible energy makes for charming misunderstandings and comedy. 
  20. Penedo, Nicholas (13 de janeiro de 2009). «Animeland – Critiques – Yotsuba ! • Vol. 8 – La BD» (em French). Animeland. Consultado em 28 de fevereiro de 2009. Toujours aussi frais et mignon, ce tome ne déçoit pas : avec Yotsuba, on se retrouve plongé dans le monde merveilleux de l’enfance. Un beau manga pour petits et grands. 
  21. Natali, M. (31 de agosto de 2006). «BD Gest' – Yotsuba ! 1. Yotsuba et le Déménagement» (em French). BD Gest'. Consultado em 28 de fevereiro de 2009. Azuma brosse des personnages attachants, aux caractères bien marqués, immédiatement reconnaissables et qui pimentent chacun à leur façon les savoureux chapitres de cette comédie. 
  22. Carlo Santos (26 de junho de 2007). «Yotsuba and RTO – RIGHT TURN ONLY!!». Anime News Network. Consultado em 22 de setembro de 2007. The second half of the book is observational humor at its absolute pinnacle ... [T]here are plenty of times when Yotsuba&! is less than brilliant—usually when the series defeats itself by dragging out a joke too long. 
  23. «Jury Recommended Works». Japan Media Arts Plaza. Consultado em 16 de dezembro de 2007 
  24. 文化庁メディア芸術祭10周年企画アンケート日本のメディア芸術100選 結果発表 (em Japanese). Japan Media Arts Plaza. Consultado em 26 de maio de 2009. Cópia arquivada em 15 de abril de 2009 
  25. Kimberly Gueire, ed. (Abril de 2003). Popular series of 2002. Newtype USA. [S.l.: s.n.] 
  26. Calvin Reid; Heidi MacDonald & Douglas Wolk (7 de novembro de 2005). «Best Comics of 2005». Publishers Weekly. Consultado em 31 de julho de 2007. Cópia arquivada em 13 de junho de 2007 
  27. «Best Comics of 2006 Index». The Comics Journal. 2 de março de 2007. Consultado em 31 de julho de 2007 
  28. «YALSA Announces Great Graphic Novel List». 17 de janeiro de 2008. Consultado em 17 de abril de 2008. Arquivado do original em 7 de março de 2014 
  29. «2006 Japan Media Arts Festival Manga Division Excellence Prize YOTSUBA &!». Japan Media Arts Plaza. Consultado em 22 de agosto de 2007. ... [A]ll the characters are vividly depicted, which gives exhilaration to the work and the whole atmosphere has a gentleness. 
  30. «Asahi Shimbun 12th Osamu Tezuka Culture Award Final Nominees Announcement» (em Japanese). Consultado em 17 de abril de 2008 
  31. «2008 Eisner Nominations Most Diverse Yet». Comic-Con International. Consultado em 19 de junho de 2008. Arquivado do original em 12 de agosto de 2011 
  32. «Shinichi Ishizuka Wins First Ever Manga Taisho for Gaku». Anime News Network. 31 de março de 2008. Consultado em 5 de dezembro de 2008 
  33. «Cópia arquivada» よつばと!展 [Yotsuba&! exhibition] (em Japanese). Consultado em 16 de julho de 2008. Arquivado do original em 2 de outubro de 2016 
  34. Yotsuba&!, Hanagami Sharaku Win 20th Tezuka Osamu Cultural Prize's Top Award em Anime News Network (Em inglês).
  35. «So I stumbled upon Inma No Ranbu». deviantart.com 
  36. «Yotsuba&! vol. 1»