Lâmpada de Dendera

Lâmpada de Dendera é um desenho esculpido como um conjunto de relevos de pedra no templo de Hator em Dendera, no Egito, que superficialmente se assemelha a modernos dispositivos de iluminação elétrica. Uma hipótese marginal sugere que a luz de Dendera retrata a avançada tecnologia elétrica possuída pelos antigos egípcios; no entanto, os egiptólogos tradicionais consideram as gravuras representativas de um conjunto típico de imagens simbólicas da mitologia egípcia, que representam um pilar djed e uma flor de lótus que gera uma cobra dentro dela, símbolos de estabilidade e fertilidade, respectivamente.

A chamada "Lâmpada de Dendera".

Interpretação tradicionalEditar

A visão da grande maioria dos egiptólogos é que o relevo é uma representação mitológica de um pilar djed e uma flor de lótus (Nymphaea caerulea) gerando uma cobra dentro dela, o que representa aspectos da mitologia egípcia.[1][2] O pilar djed é um símbolo de estabilidade que também é interpretado como a espinha dorsal do deus Osíris. Nas esculturas, as quatro linhas horizontais que formam o djed são complementadas por braços humanos estendidos, como se os djed fossem uma espinha dorsal. Os braços seguram a cobra dentro da flor de lótus. As cobras provenientes do lótus simbolizam a fertilidade, ligada ao dilúvio anual do rio Nilo.[2]

Interpretação marginalEditar

Em contraste com a interpretação tradicional, uma hipótese marginal propõe que os relevos retratam a tecnologia elétrica egípcia antiga, baseada na comparação com dispositivos modernos semelhantes (tais como tubos de Geissler, tubos de Crookes e lâmpadas de arco voltaico).[3][4] A referência passageira de J. N. Lockyer à sugestão humorística de um colega de que as lâmpadas elétricas explicariam a ausência de depósitos de lampiões nos túmulos foi às vezes usada como um argumento que sustentaria esta interpretação particular (outro argumento seria o uso de um sistema de espelhos reflexivos).[5] Os proponentes desta interpretação também usaram um texto que se refere a "altos postes cobertos com placas de cobre" para argumentar isto,[6] mas Bolko Stern escreveu em detalhes explicando porque os topos cobertos de cobre dos postes (que eram mais baixos que os postes associados) não se relacionam com eletricidade ou relâmpagos, apontando que nenhuma evidência de qualquer coisa usada para manipular eletricidade havia sido encontrada no Egito Antigo e que esta era uma instalação religiosa e não técnica.[7]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Wolfgang Waitkus, Die Texte in den unteren Krypten des Hathortempels von Dendera: ihre Aussagen zur Funktion und Bedeutung dieser Räume, Mainz 1997 ISBN 3-8053-2322-0 (tr., The texts in the lower crypts of the Hathor temples of Dendera: their statements for the function and meaning of these areas)
  2. a b "Dendera Temple Crypt Arquivado em 25 de abril de 2010, no Wayback Machine.". iafrica.com.
  3. Childress, D. H. (2000). Technology of the gods: the incredible sciences of the ancients. Kempton, Ill: Adventures Unlimited Press. ISBN 0932813739
  4. Electricity in ancient times Arquivado em 25 de maio de 2005, no Wayback Machine.. WUFOC and NÄRKONTAKT.
  5. Lockyer, J. Norman (1998) [1894]. The Dawn of Astronomy. [S.l.]: Kessinger Publishing. pp. 180–1. ISBN 1564591123 
  6. Bruno Kolbe, Francis ed Legge, Joseph Skellon, tr., "An Introduction to Electricity". Kegan Paul, Trench, Trübner, 1908. 429 pages. Page 391. (cf., "[...] high poles covered with copper plates and with gilded tops were erected 'to break the stones coming from on high'. J. Dümichen, Baugeschichte des Dendera-Tempels, Strassburg, 1877")
  7. Stern, Bolko (1998) [1896]. Ägyptische Kulturgeschichte. [S.l.]: Reprint-Verlag-Leipzig. pp. 106–108. ISBN 978-3826219085 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Lâmpada de Dendera