Abrir menu principal

Língua extinta

língua que não tem mais falantes nativos nem pode ser estudada, devido à ausência de documentos que atestem como era a linguagem
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Uma língua extinta é uma língua que não tem mais falantes nativos (ou seja não há ninguém que nasça e que a utilize como primeira língua) nem pode ser estudada, devido à ausência de documentos que atestem como era a linguagem. Deve-se distinguir entre língua extinta e língua morta. Uma língua morta, como o latim, mesmo sem ter falantes nativos, tem bastante documentação e pode ser estudada, aprendida e até usada no presente. As línguas extintas, ao contrário, só têm sua existência comprovada por meio da tradição oral de outros idiomas aparentados, embora muitas vezes haja tentativas de reconstruí-las pelos especialistas. Um exemplo de língua extinta é o proto-indo-europeu.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.