Lúcio Papírio Crasso (cônsul em 436 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Lúcio Papírio Crasso.
Lúcio Papírio Crasso
Cônsul da República Romana
Consulado 436 a.C.
430 a.C.

Lúcio Papírio Crasso (em latim: Lucius Papirius Crassus) foi um político da gente Papíria nos primeiros anos da República Romana eleito cônsul por duas vezes, em 436 e 430 a.C., com Marco Cornélio Maluginense e Lúcio Júlio Julo respectivamente.

Primeiro consulado (436 a.C.)Editar

Segundo Lívio, seu mandato se deu num período de tranquilidade em Roma, sem registros de desordens importantes, com exceção de uma crise provocada pelo tribuno da plebe Espúrio Mélio.

Os romanos, que no ano anterior venceram uma coalização inimiga na Batalha de Fidenas, tentaram provocar um confronto contra Veios e Fidenas. Sem sucesso, limitaram-se a arrasar o território inimigo[1].

Segundo consulado (430 a.C.)Editar

No seu segundo mandato, foi eleito com Lúcio Júlio Julo[2], que já havia servido antes como tribuno consular (438 a.C.). Durante seu mandato foi firmada uma trégua de oito anos com os volscos.

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Marco Gegânio Macerino III

com Lúcio Sérgio Fidenato

Lúcio Papírio Crasso
436 a.C.

com Marco Cornélio Maluginense

Sucedido por:
'Caio Júlio Julo II

com Lúcio Vergínio Tricosto

Precedido por:
'Tito Quíncio Peno Cincinato

com Cneu Júlio Mentão

Lúcio Júlio Julo
430 a.C.

com Lúcio Papírio Crasso II

Sucedido por:
'Hosto Lucrécio Tricipitino

com Lúcio Sérgio Fidenato II


Referências