La vida del Buscón

Books-aj.svg aj ashton 01.png A Wikipédia possui o
Portal de Literatura

La vida del Buscón (título completo em espanhol: Historia de la vida del Buscón, llamado don Pablos; ejemplo de vagamundos y espejo de tacaños[1] - livremente traduzido para o português como História da vida do Buscón, chamado don Pablos, exemplo de vagabundos e espelho de velhacos) é uma novela picaresca em castelhano, escrita por Francisco de Quevedo.

O livro foi publicado pela primeira vez em 1626[2], ainda que tenha circulado em cópias manuscritas anteriormente, algumas das quais ainda conservadas hoje em dia. Quevedo nunca reconheceu ter escrito El Buscón, provavelmente para se esquivar de problemas com a Inquisição, e seu silêncio sobre esta obra, apesar de sua autoria ser inquestionável, aumenta os problemas da datação de sua composição. Propõe-se datas que vão de 1604 a 1620, e um processo de reelaboração posterior em que Quevedo estaria trabalhando até 1640[3].

Narra a história de um segoviano pobre, filho de um ladrão e uma bruxa, e suas aventuras como escudeiro de um filho da nobreza, como andarilho e como membro de uma confraria de rufiões.

Referências

  1. Frontispício da primeira edição em fac-símile, disponível online.
  2. Vide Nota preliminar à edição crítica disponível online em espanhol.
  3. CABO ASEGUINOLAZA, Fernando. La vida del Buscón (Francisco de Quevedo). Barcelona: Círculo de Lectores/Real Academia Española, 2011. p. 181-202.
  Este artigo sobre um livro é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.