Lagoa Marovo

Lagoa Marovo é a maior lagoa de água salgada do mundo e fica localizada nas Ilhas Salomão. A lagoa possui uma alta diversidade de corais e peixes, tornando-se um destino obrigatório para mergulhadores.[1] Abrange cerca de setecentos quilômetros quadrados e é protegida por uma dupla barreira de recifes.[1] Embora ocupam zero vírgula um por cento dos oceanos do planeta, as barreiras podem abrigar até vinte e cinco por cento das espécies marinhas existentes.[1]

Vangunu Island NASA.jpg
Marovo Lagoon (16 August 2008).jpg

A lagoa faz parte do complexo Marovo-Tetepare, que está na lista de localidades das Ilhas Salomão propostos para a declaração de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Foram confirmados na lagoa os avistamentos do golfinho-nariz-de-garrafa do Indo-Pacífico (Tursiops aduncus).[2] Há ilhas na lagoa Marovo e ao menos habita cerca de doze mil pessoas em cinquenta localidades. Falam a língua marovo e têm uma economia de subsistência na qual a pesca desempenha um papel importante.[3]

Referências

  1. a b c Ceccarelli DM, Wini-Simeon, Sullivan, Wendt, Vave-Karamui, Masu, Nicolay-Grosse Hokamp, Davey, Fernandes (2018). Biophysically Special, Unique Marine Areas of the Solomon Islands (PDF) (Relatório). MACBIO, (GIZ, IUCN, SPREP), Suva. ISBN 978-0-9975451-6-6. Consultado em 31 de março de 2021 
  2. «Tursiops aduncus, Ehrenberg, 1833: Solomon Islands, Delphinidae, Indian Ocean Bottlenose Dolphin, Indo-Pacific Bottlenose Dolphin». Review of Significant Trade: Species selected by the CITES Animals Committee following CoP14 and retained in the review following AC25 (PDF). [S.l.]: CITES Project No. S-380: Prepared for the CITES Secretariat by United Nations Environment Programme World Conservation Monitoring Centre. 2012. pp. 2–10. Consultado em 20 de maio de 2014 
  3. Robert E. Johannes and Edvard Hviding (2000). Traditional knowledge possessed by the fishers of Marovo Lagoon, Solomon Islands, concerning fish aggregating behaviour (PDF). [S.l.]: SPC Traditional Marine Resource Management and Knowledge Information Bulletin No. 12. pp. 22–29. Cópia arquivada (PDF) em 4 de março de 2016