Lamanai (do maia iucateque Lam'an'ain, "crocodilo debaixo de água"), é um sítio arqueológico mesoamericano, e foi em tempos uma cidade maia de dimensão significativa. Situado no norte de Belize, no distrito de Orange Walk, o seu nome é pré-colombiano, registado pelos primeiros missionários espanhois, e documentado ao longo dos mil anos anteriores em inscrições maias como Lam'an'ain.

Relevo esculpido numa das paredes do Templo das Máscaras, Lamanai

HistóriaEditar

Lamanai foi ocupada em tempos tão remotos como o século XVI a.C.[carece de fontes?] e atingiu o seu apogeu no período pré-clássico, entre o século IV a.C. e o século I, integrando ainda assim estruturas de datas posteriores. A sua ocupação estendeu-se até ao século XVII. Durante a conquista do Iucatão os conquistadores construíram aqui um templo católico, mas uma revolta dos nativos maias afastou os espanhois desta região.

Descrição do sítioEditar

A maior parte da extensão do sítio permaneceu por escavar até meados da década de 1970. Os trabalhos arqueológicos têm-se concentrado na investigação e restauro das estruturas maiores, sobretudo o Templo da Máscara, a Estrutura N10-9 (Templo das Máscaras de Jaguar) e o Templo Alto. O ponto mais elevado deste último fornece um ponto de observação que permite olhar a selva em redor até uma lagoa próxima, parte do New River.

Uma parte significativa do Templo da Máscaras de Jaguar permanece sob a vegetação da selva.

Investigação arqueológicaEditar

A primeira descrição detalhada das ruínas foi feita em 1917 por Thomas Gann. As escavações arqueológicas começaram em 1974 conduzidas por David M. Pendergast do Museu Real de Ontário, e prolongaram-se até 1988. Em 2004 foi iniciada uma nova campanha de escavação e restauro.

Ligações externasEditar