Le Monde

Le Monde.svg
Une Le Monde.jpg
Capa da edição de 18 de dezembro de 1944
Periodicidade Diário
Formato Berlinense
Sede Bd Auguste-Blanqui 80, F-75707, Paris Cedex 13
País França
Fundação 1944 (76 anos)
Editora Louis Dreyfus
Editor Jérôme Fenoglio
Conselho de redação 165
Orientação política Centro-esquerda
Idioma Francês
Circulação 331 837[1]
Página oficial lemonde.fr

Le Monde é um jornal diário francês fundado por Hubert Beuve-Méry e continuamente publicado em Paris desde a sua primeira edição em 19 de dezembro de 1944. É um dos mais importantes e amplamente respeitados jornais do mundo.[2]

É um dos dois principais jornais franceses ao lado do Le Figaro e a principal publicação do Grupo La Vie-Le Monde. Tinha uma circulação média de 323 039 exemplares por edição em 2009, cerca de 40 mil das quais vendidas no exterior. O jornal tem próprio site desde 19 de dezembro de 1995 e é muitas vezes o único jornal francês facilmente obtido em países não francófonos. Ele não deve ser confundido com a publicação Le Monde diplomatique, da qual o Le Monde tem 51% de participação, mas que é editorialmente independente.

O lado jornalístico do jornal tem uma forma colegial da organização, em que a maioria dos jornalistas não são apenas de docentes, mas os intervenientes financeiros na empresa, bem como, e participar nas eleições de alta gerência e executivos seniores. Nos anos 1990 e 2000, o Grupo La Vie-Le Monde foi expandido sob a gestão do editor Jean-Marie Colombani com uma série de aquisições. No entanto, a sua rentabilidade não era suficiente para cobrir as grandes dívidas que assumiu para financiar essa expansão e procurou novos investidores em 2010 para salvar a empresa da falência. Em junho de 2010, os investidores Matthieu Pigasse, Pierre Bergé e Xavier Niel adquiriram uma participação controladora no jornal.[3]

Ao contrário de outros jornais do mundo, como The New York Times, o Le Monde era tradicionalmente focado em oferecer análise e opinião, em vez de ser um jornal de registro. Por isso, era considerado menos importante para o jornal oferecer o máximo de cobertura de notícias do que oferecer uma interpretação cuidadosa de eventos atuais. Por exemplo, no 10º aniversário do afundamento do Rainbow Warrior, o jornal implicou diretamente François Mitterrand, que era o presidente francês na época, na operação. Nos últimos anos, no entanto, o jornal criou uma maior distinção entre fato e opinião.[4]

Referências

  1. OJD data Arquivado em 16 de setembro de 2013[Erro data trocada] no Wayback Machine.
  2. Le Monde, Encyclopædia Britannica
  3. Willsher, Kim. "Tycoons given go-ahead for financial takeover of Le Monde" The Guardian, 28 de junho de 2010
  4. «Le Monde — Portrait d'un quotidien» (PDF). Consultado em 30 de setembro de 2016. Arquivado do original (PDF) em 17 de janeiro de 2012 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.