Levante de Locumba

Levante de Locumba (em castelhano: Levantamiento de Locumba), ou também denominado locumbazo, foi uma rebelião militar ocorrida em 29 de outubro de 2000, em Locumba, departamento de Tacna, no Peru, liderada pelo comandante do exército peruano Ollanta Humala Tasso juntamente com seu irmão, o major de infantaria reformado, Antauro Humala Tasso. O levante pretendia exigir a renúncia do presidente Alberto Fujimori, que havia sido reeleito pela segunda vez em eleições consideradas ilegítimas; entretanto, naquela altura o regime fujimorista já estava em declínio. Este evento marcou o início da carreira política de Ollanta Humala, que o levou à presidência do Peru em 2011.[2] [3]

Levante de Locumba
Levantamiento LOCUMBA.png.jpg
Camponeses, reservistas e militares rebeldes sob as ordens de Antauro e Ollanta.
Data 29 de outubro de 2000
Local Locumba, Tacna,  Peru
Casus belli Reeleição de Alberto Fujimori como Presidente da República.(Autoritarismo)
Desfecho Rendição dos rebeldes, seguida por suas prisões e futura anistia e libertação.[1]
Beligerantes
Peru Governo do Peru
Peru Policía Nacional del Perú
Etnocacerismo.jpg Etnocaceristas sublevados
Emblem of the Peruvian Army.svg Militares rebeldes
Banner of the Qulla Suyu.svg Camponeses
Comandantes
Alberto Fujimori Ollanta Humala
Antauro Humala
Forças
  de 57 a 3 soldados
Vários camponeses e reservistas

Referências