Abrir menu principal
Liberty Seguros Continental
Informações
Estatuto
Disciplina
País
Fundação
1996
Extinção
Temporadas
2Visualizar e editar dados no Wikidata
Designação anterior
1958-1960
1977-1978
1996-1997
1998-1999
2000-2002
2003-2004
2005-2006
2007-2009
Águias de Alpiarça
Águias/Clok
LA Aluminios-AC Malveira
LA Aluminios-Pecol-Águias de Alpiarça
LA Aluminios-Pecol-Calbrita
LA Aluminios-Pecol-Bombarral
LA Aluminios-Liberty Seguros
Liberty Seguros
Equipamento
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
título

A Liberty Seguros foi uma equipa de ciclismo portuguesa de categoria Continental que disputava provas do Circuito Continental UCI (principalmente UCI Europe Tour). No pelotão profissional desde 1997, a equipa desapareceu em 2009 na sequência de um triplo caso de doping e consequente retirada do patrocinador, nessa altura a Liberty Seguros.

Os patrocinadores principais da equipa foram a LA Alumínios (1997-2006) e a Liberty Seguros (2007-2009), com a Pecol e a própria Liberty Seguros a serem co-patrocinadores em várias temporadas, o que fez com que o nome da equipa tivesse várias modificações durante as treze temporadas que disputou.

História da equipaEditar

Criação e primeiros anosEditar

Apesar da existência da equipa Águias de Alpiarça remontar aos inícios da segunda metade do século XX, apenas em 1996 se viria a reunir condições para fundar uma equipa profissional de ciclismo para a temporada de 1996 com o patrocínio das empresas portuguesas LA Alumínios e Pecol. O conjunto converteu-se num dos mais importantes do pelotão português, desenvolvendo uma grande rivalidade com a Maia, outra grande equipa portuguesa.

A equipa participou na Vuelta a España 2000,[1] na qual Andréi Zinchenko conseguiu, a 10 de Setembro de 2000, a vitória na 14ª etapa, que terminou em Lagos de Covadonga, um dos principais pontos da prova espanhola.[2] A vitória do russo, vencedor em três etapas em 1998, significou a primeira vitória de uma equipa portuguesa na história da Vuelta, numa edição que a modesta equipa lusa teve protagonismo com diversas fugas com ciclistas como Rubén Oarbeaskoa.[3]

Em 2001 a equipa não foi convidada para participar na Vuelta a España, pelo que praticamente competiu apenas no calendário português. A grande rival da LA-Pecol-Bombarral, a Milaneza-Maia, correu na Vuelta (algo que não tinha acontecido no ano anterior).

Após a temporada de 2004, a Pecol deixou de ser co-patrocinador da equipa, acabando a designação LA-Pecol.

Chegada da Liberty e partida da LAEditar

Com uma nova organização das equipas de ciclismo a partir de 2005, a equipa foi designada como sendo de categoria Continental (abaixo das categorias ProTour e Continental Profissional, as primeira e segunda categorias mais elevadas, respectivamente). Também nessa temporada a equipa recebeu um novo pratrocinador, a multinacional Liberty Seguros, como parte do acordo através do qual os ciclistas da equipa portuguesa Nuno Ribeiro e Sérgio Paulinho passaram para a equipa espanhola Liberty Seguros-Würth, de categoria ProTour, dirigida por Manolo Saiz.

Em 2006, como consequência da Operación Puerto, a Liberty Seguros retirou o seu patrocínio à equipa espanhola de Saiz, passando a ser a equipa portuguesa a única equipa patrocinada pela seguradora.

Em 2007 a equipa deixou de ser patrocinada pela LA Alumínios (que passou para a antiga Maia-Milaneza com a MSS), passando a equipa anteriormente chamada de LA Alumínios-Liberty Seguros a chamar-se apenas Liberty Seguros.

Doping e extinçãoEditar

A 18 de Setembro de 2009 tornou-se público o controlo positivo por CERA na edição de 2009 da Volta a Portugal em Bicicleta dos ciclistas Héctor Guerra, Isidro Nozal e Nuno Ribeiro. A Liberty Seguros anunciou que retiraria o patrocínio à equipa, obrigando os seus ciclistas a retirarem-se da prova que disputavam.[4] A 21 de Outubro a UCI anunciou que as contra-análises confirmaram o controlo positivo a todos os ciclistas citados.[5] Este caso triplo de doping conduziu a Liberty Seguros a retirar o patrocínio da equipa.[6]

MaterialEditar

A equipa utilizou bicicletas Masil (entre 1997 e 2004) e Specialized (entre 2005 e 2009).

Classificações UCIEditar

A União Ciclista Internacional elaborava o Ranking UCI de classificação de ciclistas e equipas profissionais.

Até ao ano de 1998 a classificação da equipa e do seu ciclista mais destacado foi a seguinte:[7]

A partir de 1999 e até 2004 a UCI estableceu uma classificação por equipas divididas em três categorías (primeira, segunda e terceira). A classificação da equipa foi a seguinte:[7]

Equipa em 2009Editar

Nome Data de nascimento Nacionalidade Equipa em 2008
Hernani Broco 13.06.1981   Portugal
Filipe Cardoso 15.05.1984   Portugal
Manuel Antonio Cardoso 07.04.1983   Portugal
Vitor Goncalves 26.08.1982   Portugal
Héctor Guerra 06.08.1978   Espanha
António Jesus 20.01.1984   Portugal
José Mendes 24.04.1985   Portugal SL Benfica
Carlos Nozal 15.05.1981   Espanha
Isidro Nozal 18.10.1977   Espanha
Edgar Pinto 27.08.1985   Portugal SL Benfica
Rubén Plaza 29.02.1980   Espanha SL Benfica
Nuno Ribeiro 09.09.1977   Portugal
Vitor Rodrigues 09.03.1986   Portugal
Rui Sousa 17.07.1976   Portugal
Ricardo Vilela 18.12.1987   Portugal Novo profissional

ReferênciasEditar

  1. «www.cyclingnews.com presents the 55th Vuelta España 2000» 
  2. «DEPORTES»  Texto " Ciclismo. Vuelta a España. 14ª etapa. Vencedor: A. Zintchenko. Líder: Roberto Heras" ignorado (ajuda)
  3. «Zintchenko, el décimo en los Lagos · ELPAÍS.com» 
  4. «Ciclismo»  Texto " Actualidad : Isidro Nozal y Héctor Guerra, positivos en la Vuelta a Portugal por EPO CERA - AS.com" ignorado (ajuda)
  5. «La UCI confirma los positivos de Guerra, Nozal y Ribeiro - MARCA.com» 
  6. «Los españoles Isidro Nozal y Héctor Guerra y el portugués Nuno Ribeiro dan positivo por EPO en Portugal - Deportes - Ciclismo - Abc.es» 
  7. a b «Clasificaciones del Ranking UCI de 1986 a 2009» (em francês). memoire-du-cyclisme.net. Consultado em 29 de Outubro de 2009 

Ligações ExternasEditar