Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes (desde setembro de 2018). Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lindolf Bell
Nascimento 2 de novembro de 1938[1]
Timbó[1]
Morte 10 de dezembro de 1998 (60 anos)[1]
Blumenau
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Elke Hering[1]
Filho(s) Pedro Bell
Rafaela Bell
Eduardo Bell[1]
Ocupação poeta
Principais trabalhos As Vivências Elementares
Prémios Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (1984)
Movimento estético Poesia
Página oficial
http://www.LindolfBell.com.br

Lindolf Bell (Timbó, 2 de novembro de 1938Blumenau, 10 de dezembro de 1998) foi um poeta brasileiro.

BiografiaEditar

Lindolf Bell era formado pela Escola de Arte Dramática de São Paulo. Seu gosto pela poesia veio dos pais, Theodor e Amália Bell, ambos lavradores (o pai também foi caminhoneiro ). Sua mãe costumava declamar poemas em reuniões familiares. Essa influência foi definitiva na carreira de Bell, encontrando-se enraizada na vida e nas obras do poeta.

Lindolf foi líder do movimento Catequese Poética, uma iniciativa que levava a poesia às ruas por meio de recitais e de cantorias que fazia na janela de sua amada, praças, ruas, viadutos, escolas e universidades, permitindo que milhares de pessoas conhecessem essa forma de arte. Esse trabalho deu a Bell um grande reconhecimento, no Brasil e também no estrangeiro.

Casou-se com a escultora blumenauense Elke Hering. Na década de 1970 os dois, juntamente com o casal de amigos Péricles e Arminda Prade, fundaram a primeira galeria de arte de Santa Catarina, a Açu-Açu, em Blumenau.

Lindolf Bell é atualmente o nome mais citado da poesia catarinense.[carece de fontes?]

ObrasEditar

 
Casa de Lindolf Bell em Timbó, hoje um museu.
  • 1962 - Os Póstumos e as Profecias.
  • 1963 - Os Ciclos. ( Duas edições: 1963 e 1964 )
  • 1965 - Convocação.
  • 1966 - Curta Primavera. ( Narrativa Lírica )
  • 1966 - A Tarefa.
  • 1967 - Antologia Poética de Lindolf Bell.
  • 1968 - Catequese Poética Antologia
  • 1971- As Annamárias.
  • 1974 - Incorporação.
  • 1980 - As Vivências Elementares.
  • 1984 - O Código das Águas.
  • 1985 - Setenário.
  • 1987 - Texto e Imagem.
  • 1993 - Iconographia.
  • 1994 - Pré-textos para um fio de esperança.
  • 1994 - Requiem.

Referências

  1. a b c d e «Biografia do Poeta». Casa do Poeta Lindolf Bell. Consultado em 27 de Janeiro de 2010. Arquivado do original em 3 de abril de 2009 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.