Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde dezembro de 2018). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

Luminância é uma medida da densidade da intensidade de uma luz refletida numa dada direção, cuja unidade SI é a candela por metro quadrado (cd/m²). Descreve a quantidade de luz que atravessa ou é emitida de uma superfície em questão, e decai segundo um ângulo sólido.

Observando parte uma superfície iluminada, a intensidade luminosa refletida por uma superfície dividida pela área visível para os olhos denomina-se luminância.

Pode ser descrita com a seguinte equação:

onde:

  • LV é a luminância, medida em candelas /metro².
  • F é o fluxo luminoso, em lumens.
  • dS é o elemento de superfície considerado, em metros².
  • dΩ é o elemento de ângulo sólido, em estereorradianos.
  • θ é o ângulo entre a normal da superfície e a direção considerada.

Os raios luminosos de uma fonte de luz não podem ser vistos; é a sensação de claridade que essa superfície produz nos olhos que é transmitida ao cérebro. Por causa da sensibilidade dos receptores da retina, a sensibilidade do olho humano não é a mesma para todo o espectro eletromagnético de cores. Estende-se do vermelho (780 nm) ao violeta (400 nm) com o verde-amarelado no centro. Por esse motivo, o verde-amarelado é a cor mais representativa do espectro luminoso. Já que os objetos possuem diferentes capacidades de reflexão da luz, pode-se obter diferentes luminâncias de uma mesma iluminância.

Os monitores e as placas de tratamento da imagem controlam a luminância e a crominância.

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • VIANNA, Nelson Solano e Joana Carla S. Gonçalves. Iluminação e Arquitetura. São Paulo: Ed. Virtus S/c Ltda., 2001.
  Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.