Abrir menu principal

A Maçonaria Prince Hall é um ramo da Maçonaria norte-americana fundada por Prince Hall em 29 de setembro de 1784 e composta predominantemente de afro-americanos. Há dois ramos principais da Maçonaria Prince Hall: o ramo formado pelas Grandes Lojas Estaduais Prince Hall, considerado regular, sendo reconhecido pela Grande Loja Unida da Inglaterra[1] e por outras potências maçônicas dos EUA e de outros países[2], e o ramo sob a jurisdição da Grande Loja Nacional dos EUA.

Parte de uma série de artigos sobre
Maçonaria
Maçom
Artigos principais

Maçonaria · Loja Maçônica · Templo maçônico · Grande Loja · Grande Oriente · Venerável Mestre · Graus maçônicos · Loja de Perfeição

História

História da Maçonaria · Manuscritos Maçônicos · Constituição de Anderson ·

Escocês Antigo e Aceito · York · Moderno · Schröder · Escocês Retificado · Adonhiramita · Ritual de Emulação · Brasileiro · Mênfis-Misraim

HistóriaEditar

Em 6 de Março de 1775, um afro-americano chamado Prince Hall, foi eleito Mestre-Maçom na Loja da Constituição Militar da Irlanda, n° 441, juntamente com outros catorze afro-americanos: Cyrus Johnston, Bueston Slinger, Prince Rees, John Canton, Peter Freeman, Benjamin Tiler, Melhor Duff Ruform, Thomas Santerson, Prince Rayden, Cato Speain, Boston Smith, Peter, Forten Horward, e Richard Titley, dos quais, aparentemente, seriam "livres no nascimento", e não foram feitos escravos. Quando deixaram a Loja da Constituição Militar da Irlanda, tiveram a autorização para constituir uma Loja Maçônica, realizar cerimônias no dia de São João e realizar os funerais maçônicos, mas não para conferir graus, nem para fazer outros "trabalhos maçônicos. Estes indivíduos, solicitaram e obtiveram um mandado da Grande Loja da Inglaterra em 1784, e formaram a Loja Africana n° 459. Após ser retirada da lista de nomes (como foram todas as Grandes Lojas americanas em 1813, após a fusão das Grandes Lojas Antigas e Modernas Inglesas), esta Loja renomeia-se como a Loja Africana n° 1 (não deve ser confundida com as várias Grandes Lojas no continente da África), e separa-se da Grande Loja Unida da Inglaterra, a mais tradicional da Maçonaria. Isto levou a uma tradição de separar, predominantemente, as jurisdições afro-americanas na América do Norte, que são conhecidos colectivamente, como a Maçonaria Prince Hall. O racismo e a segregação generalizada na América do Norte tornaram impossível para os afro-americanos a juntarem-se às muitas lojas mainstream, e muitas das Grandes Lojas regulares da América do Norte se recusaram a reconhecer como legítima a Grande Loja Prince Hall em seu território.

Por muitos anos, tanto a Maçonaria Prince Hall quanto as Grandes Lojas mainstream tiveram membros integrados, embora alguns estados do sul dos EUA tivessem esta política, mas não a prática. Atualmente, as Lojas Prince Hall são reconhecidas pela Grande Loja Unida de Inglaterra (GLUI), bem como pela grande maioria das Grandes Lojas dos estados americanos, e por muitas Grandes Lojas internacionais. Embora nenhuma Grande Loja de qualquer tipo seja universalmente reconhecida, a Maçonaria Prince Hall é reconhecida por algumas Grandes Lojas e não por outras, e parece estar a caminho de maior reconhecimento.[3] De acordo com dados compilados em 2008, 41 das 51 principais Grandes Lojas dos Estados Unidos reconhecem as Grandes Lojas Prince Hall.[4]

Membros notáveisEditar

Existem muitos maçons notáveis que tinham vínculo com a Grande Lojas Prince Hall desde a sua origem.

Entre os primeiros Grão-Mestres, da Loja Africana Prince Hall No. 459:

  • Prince Hall, Boston, Massachusetts, Grande-Mestre 1791-1807.
  • Nero Prince, Boston, Massachusetts, Grande-Mestre 1808.
  • George Middleton, Boston, Massachusetts, Grande-Mestre 1809-1810. Comandante, do Bucks da América, de uma unidade de soldados negros, durante a Revolução Americana. A unidade recebeu uma bandeira do governador de John Hancock pelo seu serviço de fidelidade. Middleton, foi também um dos fundadores da Sociedade Beneficente Africana.
  • Peter Lew, Dracut, Massachusetts, Grande-Mestre 1811-1816, filho de Barzillai Lew.
  • Sampson H. Moody, Grande-Mestre 1817-1825.
  • John T. Hilton, Grande-Mestre 1826-1827.
  • Walker Lewis, Lowell, Massachusetts, Grande-Mestre 1829-1830.
  • Thomas Dalton, Boston, Massachusetts, Grande-Mestre 1831-1832, genro de Barzillai Lew.

Ver tambémEditar

Referências

  1. [1] "Relatório da Grande Loja Unida da Inglaterra, da Maçonaria Prince Hall e da Grande Loja Prince Hall de Massachusetts"] Acessado 26 de Março, 2008.
  2. «PHA Chart». bessel.org. Consultado em 20 de maio de 2019 
  3. "Who is Prince Hall?" Arquivado em 2 de junho de 2007, no Wayback Machine., acessado em 31 de Janeiro 2010.
  4. «Prince Hall Masonry Recognition details: Map of U.S. Recognition Status». Bessel.org. 25 de outubro de 2008. Consultado em 31 de janeiro de 2010 

Ligações externasEditar