Macedonio Melloni

Macedonio Melloni (Parma, 11 de abril de 1798Portici, 11 de agosto de 1854) foi um físico italiano.[1]

Macedonio Melloni
Nascimento 11 de abril de 1798
Parma
Morte 11 de agosto de 1854 (56 anos)
Portici
Nacionalidade Italiano
Ocupação físico
Prêmios Medalha Rumford (1834)
Empregador Universidade de Parma
Campo(s) Física
Causa da morte cólera

Melloni trabalhou principalmente com radiação térmica, e também com magnetismo das rochas, indução eletromagnética e fotografia.

Foi o primeiro diretor do Observatório do Vesúvio (Osservatorio Vesuviano), aberto em 1841, o primeiro instituto vulcanológico do mundo.

Recebeu a Medalha Rumford em 1834.[1] A partir de 1835 foi membro correspondente da Académie des Sciences, e a partir de 1839 membro estrangeiro da Royal Society.[1]

Melloni morreu de cólera, em 1854.[1]

Resultados científicosEditar

Sua fama está ligada aos estudos sobre o calor radiante (raios infravermelhos), iniciados em 1831 com Leopoldo Nobili. Ele idealizou para esse fim o "termomultiplicador", ou seja, uma combinação de termoelétrica de pilha e galvanômetro. Ele demonstrou que o calor radiante tem as mesmas propriedades da luz, estudando, entre outras coisas, os fenômenos de reflexão, refração e polarização.

TrabalhosEditar

  • M. Melloni, Carteggio (1819-1854), editado por E. Schettino, Florence, Leo S. Olschki, 1994, ISBN 88-222-4274-2
  • M. Melloni, La Thermochrôse ou la coloration calorifique, Nápoles 1850 (reprodução do fotolitótipo cem anos após a morte do autor, Zanichelli Bologna 1954)

Referências

  1. a b c d   Vários autores (1911). «Melloni, Macedonio». In: Chisholm, Hugh. Encyclopædia Britannica. A Dictionary of Arts, Sciences, Literature, and General information (em inglês) 11.ª ed. Encyclopædia Britannica, Inc. (atualmente em domínio público) 

Precedido por
John Frederic Daniell
Medalha Rumford
1834
Sucedido por
James David Forbes