Marcos Imperiais

Marcos Imperiais são doze marcos de pedra ao longo do Caminho Imperial (também chamado Caminho dos Jesuítas, Caminho das Minas, Estrada Real de Santa Cruz e Estrada Imperial de Santa Cruz), instalados em 1826 limitando as onze léguas entre o antigo Morro do Castelo (ponto inicial da cidade do Rio de Janeiro e o Palácio Imperial de Santa Cruz.

Marco XI em Santa Cruz. Visão geral

Quanto a utilidade dos mesmos, existem algumas hipóteses, embora nenhuma seja unamimidade:

  • delimitador da área de livre circulação do imperador, sem necessidade de autorização do parlamento;
  • demarcador de trechos da estrada para fins de administração;
  • orientador para alertar os viajantes sobre a distância do Marco Zero (Morro do Castelo).

Os Marcos Imperiais remanescentes sofreram reformas e foram reposicionados sobre uma base de granito polido nas calçadas e sinalizados por uma faixa horizontal nas pistas de rolamento paraa destacá-los na paisagem, pois os mesmos são considerados patrimônios históricos e culturais da cidade, além de apresentarem potencial turístico, sendo um deles tombado pelo IPHAN desde 1938, com inscrição de de tombo número 018.[1]

Marcos conhecidosEditar

Marco VI: Avenida Santa Cruz 3408, Padre Miguel.

Marco VII: Avenida Santa Cruz 8670, Senador Camará.

Marco IX: Avenida Cesário de Melo 6460, Inhoaíba.

Marco X: Avenida Cesário de Melo 11366, Paciência.

Marco XI: Rua Felipe Cardoso 465, Santa Cruz.

Marco XII, Marco Imperial: Praça Ruão, Santa Cruz. Sede da antiga Fazenda Imperial, atual 1°Batalhão de Engenharia de Combate.

Referências

  1. «Livro do Tombo Histórico - Inscrição:018». IPHAN. 26 de Novembro de 2008 

Ligações externasEditar