Maria Manuela Kirkpatrick

María Manuela Kirkpatrick, Condessa de Montijo (Málaga, 24 de fevereiro de 179422 de novembro de 1879) foi uma nobre espanhola. Era mãe da imperatriz Eugénia de Montijo e ancestral do atual Duque de Alba.

María Manuela Kirkpatrick
Nome completo Maria Manuela Henriqueta Kirkpatrick de Grevignée
Nascimento 24 de fevereiro de 1794
Málaga
Morte 22 de novembro de 1879 (85 anos)
Nacionalidade Espanhola
Progenitores Mãe: Françoise de Grevignée
Pai: William Kirkpatrick
Cônjuge Cipriano de Palafox y Portocarrero
Filho(a)(s) Paca de Alba,
Eugénia de Montijo
Ocupação aristocrata

BibliografiaEditar

Ela nasceu em Málaga, Espanha, filha de um expatriado escocês, William Kirkpatrick, comerciante de vinhos e cônsul dos Estados Unidos da América, e sua esposa nascida em Liège, Marie Françoise de Grevignée, cuja irmã Catherine se casou com o diplomata francês Mathieu de Lesseps. María Manuela Kirkpatrick era brilhante, vivaz e talentosa. Em 1817 ela se casou com Don Cipriano de Palafox y Portocarrero, Conde de Teba (1785-1839), depois Conde de Montijo , Marquês de Algava, e Duque de Granada, Duque de Peñaranda, um nobre da Espanha, bonapartista e veterano das Guerras Napoleônicas. Eles tiveram duas filhas e um filho, Francisco "Paco", que morreu jovem.

Suas filhas foram María Francisca de Sales (1825-1860), geralmente conhecida como "Paca", que herdou a maior parte das honras familiares, e María Eugenia, nascida um ano depois. Na década de 1830, Manuela e as meninas se mudaram para Paris para estudar. Lá, ela renovou sua associação com George William Frederick Villiers, mais tarde Conde de Clarendon, que há rumores de ter sido seu amante. Manuela também continuou sua amizade com Prosper Mérimée, que conhecera na Espanha e que se interessava muito pela educação das meninas. Manuela foi a fonte de Mérimée para a história de Carmen.

Em 1837, Manuela mudou-se brevemente para a Inglaterra para continuar a educação de suas filhas, mas logo retornou a Paris. Após a morte de seu marido, e talvez a decepção do casamento de Villiers com uma dama inglesa, Manuela dedicou-se a uma extensa vida social e perseguiu sua ambição de encontrar maridos adequados para suas filhas. Em 1844 Paca tornou-se a esposa de um dos homens mais ricos da Europa: Jacobo Luis Fitz-James Stuart y Ventimiglia (1821-1881), 8º Duque de Berwick, 8º Conde de Tinmouth , 8º Barão Bosworth, 8º Duque de Liria e Xérica, e 15º Duque de Alba de Tormes. Eugénie foi ainda melhor; guiada por sua mãe e Mérimée, casou-se com Napoleão III, imperador dos franceses.

 
Francisca Portocarrero Palafox (1825 - 1860), Duquesa de Alba, com sua irmã Imperatriz Eugénia (1826 - 1920) e sua mãe Maria Manuela Kirkpatrick (1794 - 1879).
 
Uma rara foto da Condesa de Montijo.

Manuela viveu o suficiente para ver a ascensão e queda do Segundo Império Francês, e morreu em Carabanchel vários meses após a morte de seu neto Napoleão, Príncipe Imperial. Sua tataraneta Cayetana Fitz-James Stuart era a nobre mais titulada do mundo.

ReferênciasEditar

  • Baguley, David. Napoleon III and His Regime: An Extravaganza. Louisiana State University Press, 2000. ISBN 0-80-712624-1.
  • Bierman, John. Napoleon III and His Carnival Empire. St. Martin's Press, 1988. ISBN 0-312-01827-4.
  • Carlin, Colin. William Kirkpatrick of Málaga. The Grimsay Press, 2011. ISBN 1-84530-071-8
  Este artigo sobre um nobre é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.