Maria Portocarreiro

Brasão de Armas da Casa de Portocarrero

Maria Portocarreiro (? - 1471) foi VII Senhora de Moguer e V Senhora de Villanueva del Fresno. Foi Senhora de Moguer por ter reclamado o direito sobre este Senhorio, facto que levou à atribuição do referido morgadio à sua pessoa em 1444, vencido os herdeiros de Luís Bocanegra.

HistorialEditar

Este direito de sucessão explica-se pelo seu enlace matrimonial com João Pacheco, marquês de Villena. Este acontecimento foi decisivo para a história deste Senhorio pois levou a uma ascendência no círculo político castelhano. João Pacheco era proveniente de uma família com origens em Portugal que se havia casado para Castela no tempo do reinado de D. Henrique III de Castela durante o período que este esteve em Guerra com Portugal, teve a sorte de ser educado junto à pessoa do príncipe herdeiro, Henrique IV de Castela, de quem foi braço direito.

Maria Portocarreiro casou por duas vezes. O primeiro casamento foi considerado ilegal pelo facto do marquês de Villena ainda se encontrar casado com Juana de Luna. Só em 1456, o papa Calixto III autorizou João Pacheco e Maria Portocarreiro a proceder a um novo casamento dado a nulidade do anterior.

O casamento permitiu a Maria de Portocarrieoro consolidar a sua herança, dada a importância do marido dentro da corte e a sua presença em momentos oficiais que lhe granjeavam puder. João Pacheco ampliou consideravelmente os bens e rendas da esposa e seus pelo matrimónio.

Deste casamento nasceram 11 filhos. Graças à extensão dos seus territórios foi possível proceder à criação de três morgadios o que contribuiu para conservar o já imenso poder patrimonial da família.

Os morgadios foram criados em 1457 e 1465 por autorização do rei Henrique IV de Castela. Em 4 de Junho de 1457 foi criado em Segovia o Morgadio de Moguer e Villanueva del Freno, feito a favor do seu filho Pedro Portocarrero. Maria de Porto carreiro morreu em 1471, ano em que segundo a Crónica de D. Henrique IV, fez o seu testamento. O seu marido faleceu em 1474.

ReferênciasEditar

  • GONZÁLEZ GÓMEZ, Antonio (1976). Moguer en la Baja Edad Media. Huelva: Servicios de publicaciones de la Diputación Provincial de Huelva. ISBN 84-500-1614-2.
  • GONZÁLEZ GÓMEZ, Juan Miguel (1978). El Monasterio de Santa Clara de Moguer. Huelva: Servicios de publicaciones de la Diputación Provincial de Huelva. ISBN 84-00-03752-9).
  • Historia Genealógica y Heráldica de la Monarquía Española, Casa Real y Grandes de España - Tomo II. «Concesión del título de Grande de España en 1520.». Consultado el 12 de marzo de 2008.
  • Web de la Consejería de Educación de la Junta de Extremadura. «Historia de Villanueva del Fresno». Consultado el 25 de junio de 2008.
  • Historia Genealógica y Heráldica de la Monarquía Española, Casa Real y Grandes de España - Tomo II. «Concesión del título de Grande de España en 1520.». Consultado el 12 de marzo de 2008.