Maria Rosa Colaço

escritora portuguesa

Maria Rosa Parreiro Colaço (Torrão, Alcácer do Sal), 19 de Setembro de 1935 - Lisboa, 13 de Outubro de 2004) foi uma professora, escritora e jornalista portuguesa. O Grupo "Trovante" compôs músicas para poesias de Maria Rosa Colaço, como "Atados e simples", Genérico e "Outra margem", que constam do seu álbum de originais "Baile no Bosque", de 1981.

Maria Rosa Colaço
Nome completo Maria Rosa Parreira Colaço
Nascimento 19 de setembro de 1935
Torrão (Alcácer do Sal)
Morte 13 de outubro de 2004 (69 anos)
Lisboa
Residência Almada
Nacionalidade portuguesa
Cônjuge António Lille Delgado Malaquias de Lemos
Ocupação Professora, escritora e jornalista
Principais trabalhos A Criança e a Vida
Prémios Prémio Revelação de Teatro (1958)

Prémio Alice Gomes (1960)
Prémio Soeiro Pereira Gomes (1982)
Medalha de Ouro de Mérito Cultural (Câmara Municipal de Almada) (1994)

BiografiaEditar

Filha de Manuel Jacinto Colaço Júnior e de Margarida Parreira, Maria Rosa Colaço fez o curso de Enfermagem em Lisboa, na Escola de Enfermagem do Instituto Português de Oncologia[1] e frequentou a Escola do Magistério Primário, em Évora. Mas foi como jornalista e autora de contos e poemas, alguns dos quais musicados, que o seu nome se tornou conhecido.

Iniciou a sua actividade como enfermeira, e seguidamente como professora do ensino primário, em Moçambique e em Almada, onde residiu durante um longo período.

Defensora da importância da leitura no desenvolvimento e na educação das crianças, celebrizou-se com a publicação do livro "A Criança e a Vida".

Colaborou regularmente com vários jornais e foi assessora da RTP (Rádio e Televisão Portuguesa).

Defensora da liberdade e senhora com carácter forte, sempre atenta às modificações da sociedade e defensora de uma participação cívica activa.

Deixou-nos uma obra repartida entre a literatura infantil, a ficção, o teatro e os programas televisivos para crianças.

Colaborou também com diversos artistas plásticos nacionais e estrangeiros legendando as suas obras.

Faleceu a 13 de outubro de 2004 e está sepultada no cemitério do Torrão.

A 9 de março de 2005, foi-lhe atribuído o grau de Comendador da Ordem da Liberdade por agraciamento póstumo proposto pelo Presidente da República Jorge Sampaio.[2][3]

Algumas obras publicadasEditar

  • A criança e a vida (1960)
  • Aventura com asas (1989)
  • Maria Tonta como eu (1983)
  • Não só quem nos odeia (1986)
  • Viagem com homem dentro (1998)
  • Espanta pardais (2001)
  • O coração e o Livro (2004)

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Notas

  1. Conhecida como Escola Rockfeller, depois Escola Superior de Enfermagem de Francisco Gentil, hoje integrada na Escola Superior de Enfermagem de Lisboa.
  2. Feminae, Dicionário Contemporâneo. Lisboa: CIG. 2013  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  3. «Entidades Nacionais Agraciadas com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Maria Rosa Colaço". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 10 de setembro de 2020