Abrir menu principal

Marquês de Vagos foi um título nobiliárquico criado em 14 de Novembro de 1802 pela Rainha D. Maria I de Portugal[1] a favor de D. Francisco da Silva Telo e Menezes, 6.º Conde de Aveiras. O título de Conde de Aveiras passou então a ser usado pelos herdeiros presuntivos dos Marqueses de Vagos.

Usaram o título
  1. D. Francisco da Silva Telo e Meneses (1723-1808), 6.º Conde de Aveiras;
  2. D. Nuno da Silva Telo de Meneses Corte Real (1746-1813), 7.º Conde de Aveiras;
  3. D. Joana Maria José Silva Telo e Meneses Corte Real (1781-1828), 9.ª Condessa de Aveiras (herdou os títulos em virtude do seu irmão D. Guido Maria da Silva Telo e Menezes Corte-Real, 8.º Conde de Aveiras, não ter sobrevivido ao pai);
  4. D. Maria José da Apresentação Pedro Regalado Baltazar do Pé da Cruz da Silva Telo de Meneses e Noronha (21 de Novembro de 1816-1854), 10.ª Condessa de Aveiras;
  5. D. José Maria da Silva Telo Corte Real e Noronha (7 de Agosto de 1838-1907), 11.º Conde de Aveiras;
  6. D. Nuno Paulo da Silva Telo de Noronha (1887-1949), 12.º Conde de Aveiras;

Após a implementação da República e o fim do sistema nobiliárquico, foram pretendentes ao título D. José Maria da Silva Telo de Menezes (1912-) e Maria Mafalda da Silva de Noronha Wagner (1951-).

Referências