Abrir menu principal

Memorial aos Membros da Comunidade USP

Memorial aos Perseguidos Políticos
At the University of São Paulo 2017 052.jpg
Apresentação
Tipo
Localização
Endereço
Coordenadas

O Memorial aos Membros da Comunidade USP que foram perseguidos e mortos por motivações políticas durante o regime militar (1964-1985) é um monumento localizado no campus Butantã da Universidade de São Paulo. Presta homenagem aos docentes, funcionários e discentes da USP assassinados ou que desapareceram durante a ditadura militar no Brasil. Foi inaugurado em 2011, tendo sido idealizado pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV).[1][2][3]

Constam do monumento nomes como: Ana Rosa Kucinski Silva e Vladimir Herzog.[1]

Está grafada no monumento a frase da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “Ninguém será submetido a tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante”.[1]

GaleriaEditar

Referências

  1. a b c «Memorial relembra membros da USP vítimas da ditadura militar». jornal.usp.br. Consultado em 1 de abril de 2019 
  2. «Uspianos vítimas da ditadura terão Memorial – Jornal do Campus». Consultado em 1 de abril de 2019 
  3. G1, Ana Carolina MorenoDo; Paulo, em São (4 de outubro de 2011). «Reitoria da USP retira placa de obra que falava em 'Revolução de 1964'». Educação. Consultado em 1 de abril de 2019