Metassemântica

Em filosofia da linguagem, linguística e metafísica, metassemântica é o estudo dos fundamentos da semântica das línguas naturais, isto é, do significado das línguas.[1][2][3] Este campo procura a compreensão adequada do princípio de composicionalidade, a análise condicional da verdade e o problema da referência, questões levantadas já por Gottlob Frege, um dos pioneiros da semântica.[4] A pergunta central, portanto, passa a ser como as expressões ou termos lexicais tornam-se dotadas de significado semântico.[5][6]

Referências

  1. Alexis Burgess, Brett Sherman (eds.), Metasemantics: New Essays on the Foundations of Meaning, Oxford University Press, 2014, p. 29 n. 13.
  2. "Review of Metasemantics: New Essays on the Foundations of Meaning". Notre Dame Philosophical Reviews.
  3. Stainton, Robert J. Philosophical Perspectives on Language. Peterborough, Ont., Broadview Press, 1996, p. 36.
  4. Kasia M. Jaszczolt, Meaning in Linguistic Interaction: Semantics, Metasemantics, Philosophy of Language, Oxford University Press, 2016, p. viii.
  5. Ori Simchen, Semantics, Metasemantics, Aboutness, Oxford University Press, 2017, p. xiii.
  6. Nobile, Gislaine Gasparin; Barrera, Sylvia Domingos. «Habilidades metatextuais: uma intervenção na produção escrita de textos narrativos». Psicologia Escolar e Educacional. 22 (2): 311-318. doi:10.1590/2175-3539207626. Consultado em 25 de outubro de 2020