Michel François

Joseph-Michel François (Haiti, 1957[1]Honduras, 21 de fevereiro de 2017) foi um coronel do exército haitiano. Como chefe da Polícia Nacional do Haiti, ele participou do golpe de Estado no Haiti em 1991, que derrubou o presidente eleito do Haiti, Jean-Bertrand Aristide.[2]

Chefe da Polícia Nacional (1991-1994)Editar

Ele ajudou a derrubar o presidente eleito do Haiti, Jean-Bertrand Aristide. Ele então aterrorizou seu país como chefe da polícia e da polícia secreta sob o comando do líder da junta militar Raoul Cédras; cerca de 4.000 haitianos foram mortos. François fugiu do país em 1994 para a República Dominicana. Embora condenado no Haiti por assassinar um partidário de Aristide, ele nunca foi extraditado. Quando a República Dominicana o deportou por tramar outro golpe de Estado no Haiti, François desembarcou em San Pedro Sula, Honduras.

Ele foi condenado à revelia por sua participação no assassinato de Antoine Izméry em 1993.[3]

Acusações de drogasEditar

Um traficante de drogas condenado disse ao Comitê de Relações Exteriores do Senado dos EUA que conheceu François na Colômbia e que François lhe disse que estava organizando um negócio de cocaína.[2] Os promotores dos Estados Unidos indiciaram François em março de 1997 e o acusaram de contrabandear 33 toneladas de cocaína e heroína para os EUA de sua pista de pouso privada no Haiti, enquanto recebia milhões em subornos de traficantes colombianos. François negou as acusações e permaneceu em uma prisão hondurenha até julho de 1997, quando a Suprema Corte hondurenha recusou os esforços de extradição dos EUA por falta de provas e posteriormente libertou François.

MorteEditar

Michel François morreu repentinamente em 21 de fevereiro de 2017, em Honduras.[4]

Referências

  1. «nid=1161853901». Deutsche Nationalbibliothek 
  2. a b Whitney, Kathleen Marie (1996), "Sin, Fraph, and the CIA: U.S. Covert Action in Haiti", Southwestern Journal of Law and Trade in the Americas, Vol. 3, Issue 2 (1996), pp. 303-332. p321
  3. Irwin P. Stotzky. Silencing the Guns in Haiti: The Promise of Deliberative Democracy., Chicago, IL: The University of Chicago Press, 1997. p. 175
  4. «Le colonel Michel François s'est éteint au Honduras». Le Nouvelliste