Miguel Seabra

ator português

Jorge Miguel Seabra de Mendes Pinto com o nome artístico Miguel Seabra[1] (Lisboa, 1965) é um actor e encenador português.

Miguel Seabra
Nome completo Jorge Miguel Seabra de Mendes Pinto
Nascimento 11 de janeiro de 1965 (56 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Outros prêmios
Globo de Ouro (2004)

Licenciado em Teatro - Formação de Actores pela Escola Superior de Teatro e Cinema.

Em 1992 funda o Teatro Meridional, Companhia onde se mantém como director e que tem marcado o seu percurso artístico como actor, encenador, desenhador de luz, formador e produtor. Está ligado a todas as distinções recebidas pela Companhia.

Em 1992 foi distinguido com o Prémio Acarte/Madalena de Azeredo Perdigão da F.C.Gulbenkian e 2004 foi premiado com um Globo de Ouro na categoria de Melhor Actor de Teatro pela sua interpretação da personagem "Clov", em Endgame de Samuel Beckett.[2]

Como actor participou também nas séries de televisão, Pedro e Inês (Real. João Cayate, RTP 2005), Equador (Real. André Cerqueira, TVI 2008) e Sul (Real. Ivo M. Ferreira, RTP 2018), e no cinema nos filmes, Coitado do Jorge (Real. Jorge Silva Melo, 1993), Logo Existo (Real. Graça Castanheira, 2006), Singularidades de uma Rapariga Loura (Real. Manoel de Oliveira, 2009), Tejo (Real. Henrique Pina, 2011), Al Berto (Real. Vicente Alves do Ó, 2017), Parque Mayer (Real. António Pedro Vasconcelos, 2018) e Nothing Ever Happened (Real. Gonçalo Galvão Teles, 2019).

Desde 2009 integra o Conselho de Administração da Fundação Lucinda Atalaya, entidade responsável pela gestão do Jardim-Infantil Pestalozzi, escola de ensino pré-primário e 1º ciclo com sede em Lisboa.

Desde 2010 é professor convidado da Escola Superior de Educação de Lisboa, onde lecciona a disciplina "Oficina Artístico-Pedagógica" no Mestrado de Teatro na Educação, e desde 2018 lecciona na Escola Profissional de Teatro de Cascais um dos módulos da disciplina de Interpretação.

Referências

  1. «Lista de associados da Audiogest» (PDF). Actividades Culturais / Ministério da Cultura. 25 de Julho de 2007. Consultado em 29 de Dezembro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 24 de dezembro de 2013 
  2. «O Globo de Ouro partido e outras histórias de gala - dn - DN». dn.sapo.pt. Consultado em 25 de setembro de 2010 [ligação inativa]

Ligações externasEditar