Abrir menu principal
Salinella salve (4)

Monoblastozoa constituiu um filo do reino Animalia. Uma única espécie foi descrita, Salinella salvae, por Frenzel, em 1892, nas salinas argentinas. Existem sérios problemas com a acurácia da descrição original, e Salinella pode ter existido mais na imaginação de Frenzel do que nas salinas da Argentina. A verdadeira natureza desses animais, incluído sua própria existência, permanece elusiva. Frenzel descreve um animal cujo revestimento consiste em uma única camada de células, com duas aberturas, que funcionam como uma boca e um ânus. O material ingerido que não é digerido seria levado internamente ao ânus por meio da movimentação de cílios. A movimentação se daria por deslizamento ciliar[1].

A reprodução do animal, segundo Frenzel, se dá por fissão do corpo, apesar de existirem suspeitas de que ocorra reprodução sexuada[2].

ReferênciasEditar

  1. Brusca, R. C. & Brusca, G. J., 2005. Invertebrados, 2ª ed. Rio de Janeiro: GuanabaraKoogan, XXVI+1005 pp.
  2. Frenzel, J., 1892. Untersuchungen über die mikroskopische Fauna Argentiniens. Archiv für Naturgeschichte, 58: 66–96. PDF Arquivado em 1 de outubro de 2012, no Wayback Machine.
  Este artigo sobre Invertebrados, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.