Abrir menu principal
Munio Nuñez de Roa
Nascimento Século IX
Morte 912
Reino de Leão

Munio Núñez foi conde em Castela em dois períodos distintos: 899 - 901 e 904-909. Parece quase certo que foi o filho de um Nuño Muñoz, quem seria o filho de Munio Nuñez de Brañosera quem com sua esposa Argilo outorgaram o famoso foro de Brañosera em 824.[1]

Sua primeira aparição histórica em 882 está relacionada com a proteção e repovoação da fortaleza de Castrojeriz desde Amaya.[2] Naquele ano, o conde Diogo Rodrigues Porcelos estava defendendo o desfiladeiro de Pancorbo contra as forças muçulmanas, em quanto de acordo com as crônicas, Munio estava em Castrojeriz tentando fortificar o Castelo. Na primeira incursão do exército emiral, Munio teve que fugir, enquanto já a segunda vez no ano 883, com as obras mais avançadas, foi capaz de resistir detrás dos novos muros da fortaleza.[3] Em janeiro de 885 morreu o conde Diego Rodríguez Porcelos sem parecer ter deixado um filho para sucedê-lo. Não foi até o primeiro de março de 899 quando Munio aparece como conde em Castela enquanto o conde Gonçalo Fernandez governava Burgos.[4]

Em 909, o conde Munio apoiou a sublevação dos filhos do rei Afonso III das Astúrias que lhe obrigou a abdicar e levou ao trono leonés a seu filho Garcia I. A partir deste momento parece que se mudou para Leão com seu genro e não volta a ser nomeado como conde de Castela, embora sim aparece como o conde de Amaya. Desde suas bases em Castrojeriz e Muñó, foi um dos três protagonistas da expansão dos castelhanos em 912, o ano em que Munio repovou Roa.[5]

Sua filha Muniadonna foi a esposa do rei Garcia I de Leão.

Referências

BibliografiaEditar

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em castelhano, cujo título é «Munio Núñez», especificamente desta versão.
  • Martínez Díez, Gonzalo (2005). El Condado de Castilla (711-1038): la historia frente a la leyenda (em espanhol). I. Valladolid: [s.n.] ISBN 84-9718-276-6