Nanshin-ron

Doutrina de Expansão para o Sul (南進論 Nanshin-ron?) foi uma doutrina política do Império do Japão que afirmava que o Sudeste Asiático e as ilhas do Pacífico estavam na esfera de interesse do Japão e que o potencial valor da expansão econômica e territorial do Império Japonês a essas áreas era maior do que em outros lugares.

Esta doutrina política era diametralmente oposta à da "Doutrina de Expansão para o Norte" (北進論 Hokushin-ron?) em grande parte suportada pelo Exército Imperial Japonês, que afirmava o mesmo, exceto no que diz respeito a Manchúria e a Sibéria. Após os reveses militares em Nomonhan na frente mongol, a Segunda Guerra Sino-Japonesa e as atitudes ocidentais negativas em relação às tendências expansionistas japonesas, a Doutrina de Expansão para o Sul a substituiu para adquirir recursos coloniais no Sudeste Asiático e neutralizar a ameaça representada pelas forças militares ocidentais no Pacífico. O Exército favorecia uma "ataque anti-horário", enquanto a Marinha favorecia um "ataque no sentido horário". [1]

Referências

  1. «Centrifugal Offensive». The Pacific War Online Encyclopedia 

BibliografiaEditar

  • Beasley, W.G. (1991). Japanese Imperialism 1894-1945. London: Oxford University Press. ISBN 0-19-822168-1 
  • Nish, Ian (1991). Japanese Foreign Policy in the Interwar Period. [S.l.]: Praeger Publishers. ISBN 0-275-94791-2 
  • Howe, Christopher (1999). The Origins of Japanese Trade Supremacy: Development and Technology in Asia from 1540 to the Pacific War. [S.l.]: University Of Chicago Press. ISBN 0-226-35486-5 
  • Peattie, Mark (1992). Nan'Yo: The Rise and Fall of the Japanese in Micronesia, 1885-1945 (Pacific Islands Monograph Series). [S.l.]: University of Hawaii Press. ISBN 0-8248-1480-0